Mostrando 25 resultados

descrição arquivística
Rio Grande - RS
Visualizar impressão Visualizar:

13 resultados com objetos digitais Exibir resultados com objetos digitais

Centro de Intendência da Marinha em Rio Grande

  • RJDPHDM CITRGD
  • Fundo
  • 11/04/2013

Documentos relacionados ao Centro de Intendência da Marinha em Rio Grande.

Centro de Intendência da Marinha em Rio Grande

Comando do Quinto Distrito Naval

  • RJDPHDM COM5DN
  • Fundo
  • 08/08/1946

Documentos relacionados ao Comando do Quinto Distrito Naval.

Comando do Quinto Distrito Naval

Capitania dos Portos do Rio Grande do Sul

  • RJDPHDM CPRS
  • Fundo
  • 19/05/1846

Documentos pertencentes à Capitania dos Portos do Rio Grande do Sul.

Capitania dos Portos do Rio Grande do Sul

Distintivo da Estação Radiogoniométrica da Marinha no Rio Grande

DESCRIÇÃO

Num escudo boleado, encimado pela coroa naval e envolto por uma elipse feita de um cabo de ouro terminado em nó direito, em campo de azul, duas centelhas de ouro, de três ramos cada uma, o segundo dos quais postos em faixa, tendo os ramos voltados para baixo terminados em forma de seta e opostos aos dois outros dispostos em aspa, envoltas aquelas por uma circunferência do mesmo metal; em chefe fendido de vermelho e verde, uma coroa de marquês.

EXPLICAÇÃO

O campo de azul, simbolizando o céu, representa o espaço infinito por onde transitam as mensagens telegráficas e recebidas pela Estação Rádio de Rio Grande, as centelhas envoltas numa circunferência, distintivo da telegrafia na Marinha, indicam as atividades da aludida estação.
No chefe fendido de vermelho e verde, a coroa de marquês, evocando o ínclito Almirante Tamandaré, alude ao Estado sulino e à cidade onde nasceu, Rio Grande, sede da estação e que lhe dá o nome, que também é memorado pelos esmaltes e metal do chefe, constantes da bandeira criada em 1836, para a efêmera República Riograndense.

Estação Radiogoniométrica da Marinha no Rio Grande

Distintivo da Corveta Imperial Marinheiro

DESCRIÇÃO
Num pentágono de cabos de ouro e encimado pela coroa naval; em campo cortadoondado de prata, com o gorro dos imperiais marinheiros, e de azul com duas machadinhas de abordagem postas em aspa, com cabos de ouro e lâminas de prata.
EXPLICAÇÃO
O gorro era o então usado pelos imperiais marinheiros e as machadinhas os instrumentos por eles manejados na faina de bordo e em combate.

Distintivo do Centro de Intendência da Marinha em Rio Grande

DESCRIÇÃO
Num escudo boleado, encimado pela coroa naval e envolto por elipse feita de cabo de
ouro, terminado em nó direito, campo de azul com âncora de prata tendo brocante sobre a
mesma folha de acanto, de ouro, posta em faixa; no contra-chefe, faixa ondada de prata e
no chefe, igreja de prata
EXPLICAÇÃO
O campo de azul e a âncora de prata, esmalte e atributo clássicos da Marinha,
precipuamente recordam a vinculação do depósito à mesma, enquanto a folha de acanto
alude às suas atividades de Intendência; a faixa ondada, de prata, lembra a lagoa dos Patos,
confundida com um rio pelos descobridores, donde o nome original de Rio Grande de São
Pedro, topônimo igualmente recordado pela igreja do chefe, de grande vinculação com a
Marinha do Brasil, por nela haver sido batizado o Almirante Marquês de Tamandaré

Comando do Quinto Distrito Naval

DESCRIÇÃONum escudo boleado e encimado pela coroa naval, colocado sobre uma âncora de vermelho,chefe de azul com templo de prata; no contrachefe duas faixas ondadas, de prata, e brocante sobreestas uma roda de navalhas, de vermelho. Pendente do distintivo, a insígnia da Ordem do MéritoNaval.EXPLICAÇÃONo campo de azul, esmalte clássico da Marinha, a igreja do chefe rememora a catedral deSão Pedro, edificada no terceiro quartel do século XVIII, na cidade do Rio Grande, sede doComando do 5º Distrito Naval, e na qual Joaquim Marques Lisboa, mais tarde Marquês deTamandaré, foi batizado. A roda de navalhas alude ao instrumento do suplício de Santa Catarina,mártir que dá nome ao estado brasileiro que abrigou, no passado, a sede do Comando do 5º DN,sendo as águas jurisdicionais deste Distrito recordadas pelo faixado-ondado. A insígnia pendente dodistintivo foi a este anexado em decorrência do Decreto do Presidente da República Federativa doBrasil de 04 de maio de 1994, que outorgou a comenda à organização militar.

Comando do Quinto Distrito Naval

Estação Naval do Rio Grande

  • RJDPHDM ESNVRG
  • Fundo
  • 29/03/1993

Documentos relacionados à Estação Naval do Rio Grande.

Estação Naval de Rio Grande

Estandarte do Comando do Quinto Distrito Naval

DESCRIÇÃO

Num campo retangular de seda prateada, de 1.20m x 1.00m, debruado com torçal de azul, o distintivo do Comando do 5º Distrito Naval. O estandarte é firmado num mastro forrado de azul e prata, encimado por ponta de lança de prata e guarnecido por duas fitas, de azul e prata, franjadas de ouro e a inscrição “Comando do 5º Distrito Naval”, de ouro, numa delas, ambas pendentes de roseta azul e prata.

EXPLICAÇÃO

A prata do estandarte evoca a Marinha em seu metal clássico e o conjunto heráldico constante do mesmo, distintivo do 5º DN, a ele se reporta.

Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande

  • RJDPHDM GRFRGD
  • Fundo
  • 28/01/1983

O Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande (GptFNRG) foi criado pelo Decreto nº 88.074, de 28 de janeiro de 1983. Primeiramente denominado Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande, a unidade foi criada dentro da estrutura orgânica do então Ministério da Marinha, com sede na cidade de Rio Grande, Estado do Rio Grande do Sul, subordinado ao Comando do 5º Distrito Naval, com a finalidade de realizar operações navais e terrestres de caráter naval, inclusive de Polícia Naval, Operações Fluviais e Ribeirinhas, defesa de Bases e Instalações Navais e Operações de Segurança Interna, sob o comando de Oficial Superior do Corpo de Fuzileiros Navais. A implantação do GptFNRG foi efetivada de modo progressivo, iniciado como Núcleo de Ativação do GptFNRG o qual funcionou, provisoriamente, em dependências da Estação Rádio da Marinha do Rio Grande (ERMRG). A este Núcleo, cabia a elaboração de propostas de Tabelas de Organização e Equipamentos, levantamentos de necessidades administrativas e ocupação paulatina das instalações da nova unidade. O Núcleo de Ativação foi extinto com a nomeação de seu primeiro Comandante, o então Capitão-de-Fragata (FN) CARLOS ALBERTO DA SILVA LOUREIRO, em 4 de junho de 1985, quando foi finalmente efetivado o GptFNRG. Pela Portaria nº 0051 de 16 de janeiro de 1986, do Ministério da Marinha, o nome do Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande foi alterado, recebendo sua atual denominação: Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande.

Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande

Navio Balizador Comandante Varella

  • RJDPHDM NBVELA
  • Fundo
  • 20/05/1982

Documentos relacionados ao Navio Balizador Comandante Varella.

Navio Balizador Comandante Varella

Navio-Patrulha Babitonga

  • RJDPHDM NPANGA
  • Fundo
  • 18/08/1998

Documentos relacionados ao Navio-Patrulha Babitonga

Navio-Patrulha Babitonga

Navio-Patrulha Benevente

  • RJDPHDM NPANTE
  • Fundo
  • 10/07/1998

Documentos relacionados ao Navio-Patrulha Benevente

Navio-Patrulha Benevente

Envio de Nota Fiscal

Ofício encaminhado ao Depósito Naval de Rio Grande transmitindo notas fiscais, devidamente certificadas, solicitando que seja efetuado o pagamento

Rebocador de Alto-Mar Tritão

  • RJDPHDM RTRTAO
  • Fundo
  • 19/02/1987

Documentos relacionados ao Rebocador de Alto-Mar Tritão.

Rebocador de Alto-Mar Tritão

Serviço de Sinalização Náutica do Sul

  • RJDPHDM SINSUL
  • Fundo
  • 13/10/1967

Documentos relacionados ao Serviço de Sinalização Náutica do Sul

Serviço de Sinalização Náutica do Sul