Fundo SBTPJO - Submarino Tapajó

Código de referência

RJDPHDM SBTPJO

Título

Submarino Tapajó

Data(s)

  • 21/12/1999 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Suporte papel: A4
Suporte digital: .PDF

Nome do produtor

(21/12/1999)

História administrativa

O Submarino Tapajó - S 33, ex-Tapajós, foi o terceiro navio e o primeiro submarino a ostentar esse nome(1) na Marinha do Brasil em homenagem ao guerreiro, a tribo e ao rio Tapajós. Foi ordenado junto ao AMRJ - Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, Ilha das Cobras, Rio de Janeiro. Teve sua quilha batida em agosto de 1992. Foi lançado em 5 de junho de 1998, tendo como madrinha a Sra. Anna Maria Ferreira Maciel, esposa do Vice-Presidente Dr. Marcos Maciel. Foi entregue, e depois de realizar provas de mar foi submetido a Mostra de Armamento e Imcorporado a Armada em 21 de dezembro de 1999, em cerimônia presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Armada. Naquela ocasião assumiu o comando o Capitão-de-Fragata Júlio César da Costa Fonseca.

Fabricação do casco resistente do submarino na NUCLEP em Itaguaí-RJ. (foto: SDM) As seções do casco resistente construídas pela NUCLEP em Itaguaí, sendo desembarcadas do Heavy Lift nacional “Star of América” na oficina de construção de submarino do AMRJ. (foto: SDM) As seções do casco resistente construídas pela NUCLEP em Itaguaí, sendo desembarcadas do Heavy Lift nacional “Star of América” na oficina de construção de submarino do AMRJ. (foto: SDM) As seções do casco resistente construídas pela NUCLEP em Itaguaí, sendo desembarcadas do Heavy Lift nacional “Star of América” na oficina de construção de submarino do AMRJ. (foto: SDM) Fabricação da estrutura interna do submarino no Edifício 4 do AMRJ. (foto: SDM) Instalação do controle de imersão. (foto: SDM) Instalação de equipamentos na seção de ré do casco de pressão. (foto: SDM) Vista da seção de proa com os tubos de torpedo, que vinha pronta da Alemanha para ser encaixada no resto do submarino. (foto: SDM) Seção contendo o motor elétrico, com parte da equipe de técnicos e engenheiros do AMRJ passando para foto. (foto: AMRJ) As seções do submarino sendo completadas na Oficina de Montagem de Submarinos do AMRJ. (foto: SDM) Transporte da seção central da Oficina de Montagem para o Dique Almirante Schieck. (foto: SDM) Transporte da seção de ré da Oficina de Montagem para o Dique Almirante Schieck. (foto: SDM) Transporte da seção central da Oficina de Montagem para o Dique Almirante Schieck, com o apoio de uma cabrea da empresa Superpesa. (foto: SDM) Colocação da seção de proa no Dique Almirante Schieck. (foto: SDM) Colocação da seção central/vela no Dique Almirante Schieck. (foto: SDM) Colocação da seção de maquinas no Dique Almirante Schieck. (foto: SDM) Colocação da seção de popa no Dique Almirante Schieck. (foto: SDM) Montagem final do casco no Dique Almirante Schieck, coberto para proteger o casco das condições climáticas e intempéries. (foto: SDM) Montagem final do casco no Dique Almirante Schieck. (foto: SDM) Pronto para a cerimônia de batismo e lançamento ao mar. (foto: SDM)

A cerimonia de batismo e lançamento (admissão de água na Doca) do Submarino Tapajó, no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, em 5 de junho de 1998. (foto: SDM) O S. Tapajó, pronto para a cerimonia de batismo e lançamento (admissão de água na Doca), no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, em 5 de junho de 1998. (foto: AMRJ) Recém batizado sai do dique para receber a acabamento e realizar experiências. (foto: SDM) Cerimonia de Mostra de Armamento do S. Tapajó, em 21 de dezembro de 1999, no AMRJ. (foto: SRPM) Cerimonia de incorporação do S. Tapajó em 21 de dezembro de 1999. (foto: S. Tapajó)

A oficialidade do recebimento do Tapajó foi a seguinte:

- CF Júlio César da Costa Fonseca - Comandante
- CC Francisco Antonio Oliveira Júnior - Imediato
- CC Roberto Antônio de Assis - CheMaq

- CT Eduardo Antônio Pires Martins - CheOpe

- CT Humberto da Cunha Lima - Enc.Div. O
- CT Giovanni Mendes de La Peña - Enc.Div. M
- CT Izandro Santos Berolatti - Enc.Div. T

- 1ºTen. Alexandre Ferreira Barbosa - Enc.Div. S

Placa alusiva ao batismo, lançamento e incorporação a Armada. (foto: Ícaro Luiz Gomes - Revista Forças de Defesa - 12/03/2012) Sino do navio. (foto: Ícaro Luiz Gomes - Revista Forças de Defesa - 12/03/2013)

2000

Em 24 de março, foi entregue ao setor operativo.

No final de setembro, partiu para viagem ao exterior, integrando o Grupo-Tarefa brasileiro, sob o comando do Contra-Almirante Reginaldo Gomes Garcia dos Reis, ComDiv2E, que se juntou a Força-Tarefa 13 em Ushuaia para participar da Operação UNITAS XLI, de 4 a 14 de outubro. Participaram dessa fase da UNITAS, além do Tapajó, pela MB, as F Independência - F 44 e Rademaker - F 49 e o NT Almirante Gastão Motta - G 23, pela Marinha dos EUA, o Cruzador USS Ticonderoga - CG 47, a Fragata USS Klakring - FFG 42, o NDD USS Tortuga - LSD 46 e o SNA USS Montepelier - SSN 765 compondo o GT sob o comando do CA (USN) Kevin P. Green; pela Marinha Argentina, os Contratorpedeiros ARA Almirante Brown - D 10 e ARA Heroina - D 12, as Fragatas ARA Parker - F 44 e ARA Spiro - F 43 e o NT ARA Patagônia - B 1; pela Marinha do Uruguai, a Fragata Montevideo - ROU 3; e pela França, como Marinha convidada a Fragata Montcalm - D 642 e a Corveta Second Maitre Le Bihan - F 788.

Entre 20 e 25 de outubro, integrando a Força-Tarefa 102, participou da Operação FRATERNO XX, que se iniciou em Puerto Belgrano. Além do Tapajó, participaram pela MB, as F Independência - F 44 e Rademaker - F 49, o NDCC Mattoso Maia - G 28 e o NT Almirante Gastão Motta - G 23. Pela Marinha Argentina participaram, os Contratorpedeiros ARA La Argentina - D 11 e ARA Sarandi - D 13, as Fragatas ARA Drummond - F 31 e ARA Espora - F 41 e o Submarino ARA Salta - S 31. Nessas Operações foram visitados os portos de Rio Grande-RS, Ushuaia, Puerto Belgrano e Mar del Plata (Argentina). O GT brasileiro na FRATERNO estava sob o comando do Comandante do 1º Esquadrão de Fragatas (ComEsqdF1), Capitão-de-Mar-e-Guerra Arthur Francisco Hoffmann Tozzini.

2001

Entre 9 e 26 de janeiro, participou da comissão ASPIRANTEX 01/ADEREX I/01, integrando o GT 801.2, sob o Comando da 2ª Divisão da Esquadra (Com2ªDivE), tendo visitado os portos de Salvador-BA e Vitória-ES.

O Tapajó, foi o primeiro a efetuar perifoto utilizando uma câmera digital adaptada ao periscópio, obtendo-se um levantamento fotográfico de costa com nitidez e qualidade bastante superiores as que eram apresentadas pela perifoto convencional até então empregada.

Entre 22 e 29 de agosto, participou da Operação ADEREX III/01, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo, acompanhada da F Rademaker - F 49 (capitânia), F Bosísio - F 48, F União - F 45, NDD Rio de Janeiro - G 31 e a Cv Inhaúma - V 30. Esses navios integravam o GT 808.3, sob o comando do Com2ªDivE, CA Marcelio Carmo de Castro Pereira. Foi visitado o porto de Santos-SP. Também participaram da Operação, as Cv Frontin - V 33 e Júlio de Noronha - V 32, o S Timbira - S 32, o NPa Gurupá - P 46 e aeronaves F-5E, A-1, AT-27 e P-95 da FAB.

No inicio de outubro, participou da comissão PASSEX-FRANÇA 01, na área compreendida entre Cabo Frio-RJ e Angra dos Reis-RJ, com a Fragata Primauguet – D 644 e a Corveta Commandant Birot – F 796, integrando um GT subordinado ao 1º Esquadrão de Escoltas.

Entre 25 de outubro e 3 de novembro, participou da Operação Pré-UNITAS XLII, no litoral do Paraná e Santa Catarina, integrando o GT 810.7, sob o comando do Contra-Almirante Marcelo Carmo de Castro Pereira, visitando o porto de Santos-SP.

Entre 6 e 19 de novembro, participou da Operação UNITAS XLII, realizada em águas jurisdicionais do Uruguai, integrando o GT 138.2, composto também pelas F Dodsworth - F 47, F União - F 45 e o NT Almirante Gastão Motta - G 23. Também participaram da UNITAS XLII, navios das Marinhas dos EUA, França, Espanha e Uruguai. Participaram dessa fase da UNITAS, pela Marinha dos EUA, sob o comando do CA (USN) Kevin P. Green, o 14º Esquadrão de Contratorpedeiros (Destroyer Squadron 14), composto pelo Cruzador USS Monterey - CG 61, e a Fragata USS Robert G. Bradley - FFG 49, alêm de helicópteros embarcados Seahawk do Esquadrão HSL-42, e de aeronaves de patrulha P-3C Orion dos Esquadrões VP-66 e VP-69 e pela França, como Marinha convidada a Fragata Primauguet – D 644 e a Corveta Commandant Birot – F 796.

2002

Entre 16 e 26 de abril, participou da Operação ADEREX II/02, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo, acompanhado da F Dodsworth - F 47 (capitânia), F União - F 45, F Constituição - F 42, NDD Rio de Janeiro - G 31 e o CT Pernambuco - D 30. Esses navios integravam o GT 804.2, sob o comando do Comandante 2.ª Divisão da Esquadra (Com2ªDivE) Contra-Almirante Ricardo Sérgio Paes Rios. Foi visitado o porto de Santos-SP.

Entre 14 e 24 de outubro, teve inicio a Operação UNITAS XLIII, realizada no trecho Rio de Janeiro – Salvador. Além do Tapajó, participaram pela MB as F Constituição – F 42, União – F 45 e Bosísio - F 48, o NT Almirante Gastão Motta – G 23, o S Timbira – S 32, e forças distritais; pela Armada Argentina a F ARA La Argentina – D 11, a Cv ARA Rosales – P 42, NTr ARA Bahia San Blás – B 4 e o S ARA San Juan - S 42; pela Armada do Uruguai o CTE Montevideo - ROU 3; pela Armada da Venezuela o NT ARV Ciudad Bolívar - T 81; pela Armada da Espanha as F SMS Baleares – F 71 e SMS Reina Sofía – F 84 e pela USN o C USS Thomas S. Gates – CG 51 e a F USS Simpson – FFG 56. Na ultima hora foi cancelada a participação do S ARA San Juan - S 42, que permaneceu no Rio de Janeiro. Participaram também aeronaves da Força Aérea Brasileira e da Marinha Norte-Americana e navios patrulha do 1º e 2º Distrito Navais.

Entre 28 de outubro e 1º de novembro, participou da Operação FRATERNO XXI, realizada em águas brasileiras entre Salvador e o Rio de Janeiro em conjunto com a Armada Argentina. Participaram pelo Brasil além do Tapajó, as F Constituição - F 42, Bosisio – F 48, NDD Ceara – G 30 e o NT Marajó – G 27, além de uma Cia de Fuzileiros do Btl Paissandú, um Grupo de ComAnf, um DestacMEC e aeronaves da ForAerNav. Pela ARA participaram a F ARA La Argentina – D 11, a Cv ARA Rosales – P 42, NTr Bahia de San Blas – B 4 e o S ARA San Juan – S 42, uma Cia do BIM 2, e um Destacamento do Tatico Buzo. Durante a FRATERNO XXI, foi realizada pela primeira vez uma Operação Anfíbia Combinada em território brasileiro entre as duas marinhas.

2003

Entre 14 e 29 de janeiro, participou da Operação ASPIRANTEX 03, junto com o NAe São Paulo – A 12 (capitania), F Constituição – F 42, F União - F 45, F Rademaker – F 49, CT Pernambuco – D 30, NDD Ceará - G 30 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23. Escalou no porto de Maceió -AL.

Entre 19 e 31 de maio, participou da Operação TROPICALEX 03, junto com os S Tupi - S 30 e Timbira - S 32, em apoio a FT-705, que era comandada pelo ComenCh, VA Miguel Ângelo Davena, realizada entre o Rio de Janeiro e Salvador. A FT-705 era composta também pelo NAe São Paulo - A 12 (capitânia), NDCC Matoso Maia - G 28, pelas F Dodsworth - F 47, Bosísio - F 48, Rademaker - F 49, União - F 45 e Defensora - F 41, pelos CT Pará - D 27 e Pernambuco – D 30, pelo S Tupi - S 30, e pelos NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta – G 29. Participaram como unidades isoladas os NPa Graúna - P 42 e Goiana - P 43 do 3º DN, além de aeronaves dos EsqdHA-1, EsqdHI-1, EsqdHS-1, EsqdHU-1, EsqdHU-2 e EsqdVF-1. Foi visitado o porto de Salvador-BA.

2004

Em maio, participou de exercícios realizados entre o Rio de Janeiro e São Paulo, em apoio a um GT formado pela 1ª Divisão de Esquadra, composto pela F Bosisio - F 48 (capitânia), CT Pará - D 27, Cv Inhaúma - V 30 e Julio de Noronha - V 32 e o NT Marajó - G 27. Foi visitado o porto de Santos entre os dias 14 e 17 de maio.

Entre 7 e 11 de junho, formando o GT 706.1 sob o comando do CA Arthur Pires Ramos, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, junto com NAe São Paulo - A 12, realizou a Operação PASSEX-RONALD REAGAN, com o NAe Nuclear USS Ronald Reagan - CVN 76 e o Cruzador AEGIS USS Thomas S. Gates - CG 51 (classe Ticonderoga), que formavam um GT sob o comando do CA (USN) Robert T. Moeller, Comandante do Grupo de Cruzadores e Contratorpedeiros 1 (ComGruDesGru 1). O Ronald Reagan, foi construído em Newport News (Virginia) e foi incorporado no inicio desse ano. A PASSEX foi realizada na escala do Ronald Reagan, no Brasil quando de sua travessia de Norfolk (Virginia) para San Diego (Califórnia) no Pacifico onde ira operar.

Ainda em junho, na seqüência da PASSEX-RONALD REAGAN, continuou na escolta do NAe São Paulo, na Operação CATRAPO III/HELITRAPO III.

Em 4 de agosto, durante a Operação ESQUADREX 04, realizada na área marítima entre o Rio e Vitória, participou de uma Parada Naval junto com as F Bosisio – F 48, Rademaker – F 49 e Defensora – F 41, a Cv Inhaúma – V 30, o CT Pará – D 27, o NT Marajó – G 27 e o S Tupi – S 30, assistida pelo Presidente da Republica Luiz Inácio Lula da Silva e comitiva, embarcada no NAe São Paulo – A 12.

Entre 6 e 19 de novembro, integrando o GT brasileiro junto com o F Defensora - F 41, participou da Operação UNITAS XLVI realizada em águas uruguaias e argentinas sob o comando operacional do Contra-Almirante (ROU) Oscar P. Debali de Pelleja. Também participaram do exercício a F ARA Sarandi, Cv ARA Spiro e S ARA San Juan, pela Armada Argentina; F SPS Victoria e NT SPS Patiño, pela Armada Espanhola; F ROU Montevideo, NV ROU Audaz, ROU Temerario e ROU Fortuna, NPa ROU 15 de Noviembre e ROU 25 de Agosto, e os NAp ROU Maldonado e ROU Oyarvide, pela Armada Uruguaia; a F USS John L. Hall - FFG 32 e USS De Wert - FFG 45. Tambem participaram aeronaves orgânicas de vários navios e aviões HC-130 e Lear Jet da USAF.

Em novembro, participou da Operação FRATERNO XXIII, realizada no litoral entre Itajaí-SC e Cabo Frio-RJ, junto com as F Defensora - F 41 e Rademaker - F 49, além da F ARA Sarandi, Cv ARA Spiro e o S ARA Santa Cruz.

2005

Entre 22 de junho e 7 de julho, participou como OPFOR da Operação ADEREX II/05, que foi realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Salvador em conjunto com várias unidades das 1ª e 2ª Divisões da Esquadra.

O S Tapajó, atracado em Vitória durante a Operação ADEREX II/05. (foto: ALIDE - Rodrigo Bendoraytes)

Entre 15 de agosto e 2 de setembro, participou da Operação ESQUADREX 05, sob o comando do VA Aurélio Ribeiro da Silva Filho, ComenCh e dos CA Antonio Alberto Marinho Nigro, ComForSup e Sergio Antonio da Conceição Freitas, ComDiv1Esq. Também estiveram presentes na comissão, o NDD Ceará – G 30, as F Defensora – F 41 (capitânia), Liberal – F 43, Independência – F 44 e Rademaker – F 49, CT Pará – D 27, Cv Inhaúma – V 30, NT Marajó – G 27. Também participaram em apoio a operação os NPa Guaporé – P 45 e Gurupá – P 46. Depois de escalarem em Santos-SP entre os dias 19 e 22, a FT suspendeu para Vitória-ES. No retorno ao Rio de Janeiro, foram realizados exercícios de Controle de Área Marítima (CAMEX). Durante a Operação estiveram embarcados observadores da FAB e do EB, e na fase de CAMEX houve a participação de aeronaves P-95A/B Bandeirulha dos quatro Esquadrões do 7º GAv e R-99A do 2º/6º GAv.

O S Tapajó, durante a Operação ESQUADREX 05. (foto: ALIDE - Edmundo Ubiratan) O S Tapajó, durante a Operação ESQUADREX 05. (foto: ALIDE - Edmundo Ubiratan) O S Tapajó, durante a Operação ESQUADREX 05. (foto: ALIDE - Edmundo Ubiratan)

O S Tapajó, durante a Operação ESQUADREX 05. (foto: ALIDE - Edmundo Ubiratan) O S Tapajó, atracado em Santos em 20 de agosto de 2005. (foto: NGB - Guilherme Secatto) O S Tapajó, deixando o porto de Santos em 21 de agosto de 2005, após curta escala em um intervalo de exercicios no litoral de São Paulo. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 21/08/05)

Entre 10 e 17 de outubro, participou da Operação FRATERNO XXIV, que teve lugar em águas brasileiras ao largo do Rio de Janeiro. O GT brasileiro foi formado também pelo NDD Ceará – G 30, e F Defensora – F 41; e o argentino pela F ARA Almirante Brown – D 10, Cv ARA Robinson – P 45 e o S ARA Santa Cruz – S 41. Entre diversos exercícios, foi realizada uma incursão anfíbia completa na área do Centro de Adestramento da Ilha da Marambaia por uma CiaFN e um Destacamento do Btl Tonelero. O exercício também contou com a participação da FAB.

Entre 21 e 29 de outubro, Participou da Operação UNITAS XLVII, realizada em águas brasileiras entre o Rio de Janeiro e São Paulo, integrando a Força-Tarefa 138 sob o comando do CA Dave Costa, Comandante do 6º Esquadrão de Contratorpedeiros. Participaram também a F Rademaker – F 49 e Independência – F 44 e Cv Jaceguai – V 31, pela MB, o CT USS Ross – DDG 71 e F USS Samuel B. Roberts – FFG 58, pela USN; a F ARA Almirante Brown - D 10, Cv ARA Robinson - P 45 e o S ARA Santa Cruz, pela ARA; a F SPS Santa Maria – F 81 e o NT SPS Marques de la Ensenada – A 11, pela Armada Espanhola e o NApLog ROU Artigas – ROU 4; pela Armada Uruguaia. Também participaram aeronaves P 95 do 1º/7º GAv e A-1 AMX do 1º/16º GAv e foram realizados exercícios de guerra eletrônica com um Invader Jack/Leajet 35, operado pela firma Flight International, sob contrato da USN. Essa aeronave simula um grande numero de perfis de vôo e emissões de jatos de ataque e mísseis de cruzeiro. Durante a operação, realizou exercício Sub x Sub com o S ARA Santa Cruz.

2006

Participou da Operação TROPICALEX-I/06, realizada no período de 1º de maio a 1º de junho ao longo do litoral das regiões Nordeste e Sudeste, integrando o Grupo-Tarefa 705.1 composto pelas F Bosisio - F 48, Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, Niterói - F 40 e Independência - F 44; Cv Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33; CT Pará - D 27; NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23; NDD Rio de Janeiro - G 31; NDCC Mattoso Maia - G 28 e o S Tamoio - S 31. A operação contou com o apoio do NSS Felinto Perry - K 11 e com a participação dos seguintes navios distritais: RbAM Tridente - R 22 e NPa Gurupi - P 47 do 1º DN; Cv Caboclo - V 19, NPa Guaratuba - P 50 e Gravataí - P 51 e NV Atalaia - M 17, Araçatuba - M 18, Abrolhos - M 19 e Albardão - M 20, do 2º DN e o RbAM Trindade - R 26 e os NPa Grajaú - P 40, Goiana - P 43 e Graúna - P 42 do 3º DN. Também participaram aeronaves da ForAerNav e da FAB. Foi visitado o porto de Recife-PE.

Participou da Operação TROPICALEX-I/06, realizada no período de 1º de maio a 1º de junho ao longo do litoral das regiões Nordeste e Sudeste, integrando o Grupo-Tarefa 705.1 composto pelas F Bosisio - F 48, Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, Niterói - F 40 e Independência - F 44; Cv Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33; CT Pará - D 27; NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23; NDD Rio de Janeiro - G 31; NDCC Mattoso Maia - G 28 e o S Tamoio - S 31. A operação contou com o apoio do NSS Felinto Perry - K 11 e com a participação dos seguintes navios distritais: RbAM Tridente - R 22 e NPa Gurupi - P 47 do 1º DN; Cv Caboclo - V 19, NPa Guaratuba - P 50 e Gravataí - P 51 e NV Atalaia - M 17, Araçatuba - M 18, Abrolhos - M 19 e Albardão - M 20, do 2º DN e o RbAM Trindade - R 26 e os NPa Grajaú - P 40, Goiana - P 43 e Graúna - P 42 do 3º DN. Também participaram aeronaves da ForAerNav e da FAB.

Entre 31 de julho e 17 de agosto, participou da Operação ADEREX-II/06, que se realizou na área marítima entre São Paulo e o Espírito Santo, integrando Grupo-Tarefa composta também pelas F Niterói – F 40, Constituição – F 42, Independência – F 44, Rademaker – F 49, CT Pará – D 27, Cv Frontin – V 33 e o NSS Felinto Perry – K 11. A comissão foi acompanhada pelo Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Álvaro Luiz Pinto, o Chefe do Estado-Maior da Esquadra, Contra-Almirante João Arthur do Carmo Hildebrandt, o Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, Contra-Almirante Francisco Antônio de Magalhães Laranjeira e o Comandante da 2ª Divisão da Esquadra, Contra-Almirante Rodrigo Otávio Fernandes de Hônkis, também Comandante do Grupo-Tarefa.

Foram visitados os portos de Santos-SP, entre os dias 04 e 07/08, com exceção da Frontin e do Tapajó, e Vitória-ES , entre os dias 11 e 14/08.

2007

Entre 19 e 23 de abril, esteve em Santos-SP, acompanhado do NSS Felinto Perry – K 11.

S Tapajó, entrando pela Baia da Guanabara na manhã de 1º de junho de 2007. (foto: Edson Lucas) Detalhe da vela do S Tapajó, entrando pela Baia da Guanabara na manhã de 1º de junho de 2007. (foto: Edson Lucas)

2009

Estava em Periodo de Manutenção Geral (PMG).

2010

O Tapajó durante o seu PMG fotografado no AMRJ em 25 de janeiro de 2010. (foto: Edson Lucas)

Foi realizada no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, no período de 25 a 28 de janeiro de 2010, a operação de "load out " do Submarino Tapajó, após a finalização das obras previstas no seu Período de Manutenção Geral (PMG), realizado no interior da Oficina de Construção de Submarinos. A manobra consistiu da colocação do Submarino Tapajó sobre duas carretas que foram colocadas dentro de uma balsa perfeitamente alinhada ao cais, tendo este alinhamento sido mantido por meio de manobras de retirada e transferência de água dos tanques de lastro da balsa. O conjunto carretas, berços e submarino totalizaram um peso de cerca de 2000t. Em seguida, o conjunto balsa/berços/submarino foi movimentado para o interior do Dique Almirante Régis, onde a balsa foi docada e mantida submersa, permitindo a desdocagem do submarino e sua atracação no cais sul do AMRJ, para continuação das provas de cais e início das provas de mar. Essa manobra, a quarta deste tipo realizada no AMRJ, permitiu que as atividades do PMG, incluindo algumas atividades das provas de cais, fossem executadas no interior da Oficina com significativo aumento da eficácia e dos índices de produtividade. O navio saiu do PMG equipado com o Sistema de Combate AN/BYG-501 mod. 1D e apto a operar com torpedos pesados MK-48 mod.6AT.

O Tapajó já flutuando em 26 de fevereiro de 2010, junto a Oficina de Submarinos no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro depois do “load out” realizado em 28 de janeiro. (foto: Luiz Eduardo Padilha)

Na manhã de 4 de março, participou junto com as F Niterói - F 40, Constituição - F 41 e Independência - F 44, a Cv Jaceguai - V 31, NHi Antares - H 40, NT Alte. Gastão Motta - G 23, RbAM Alte Guilhobel - R 25 e os S Timbira - S 32 e Tikuna - S 34, de uma Parada Naval no Rio de Janeiro, por ocasião da despedida do serviço ativo na Marinha do VA Álvaro Luiz Pinto (CEMA) e que contou com a presença do VA Eduardo Monteiro Lopes (ComemCh), ambos a bordo da F Liberal.

2011

Realizou o lançamento real de dois torpedos MK-48 mod.6AT.

2012

Esteve em Vitória entre os dias 18 e 21 de maio.

Na primeira quinzena de setembro realizou comissão de adestramento da tripulação e testes dos novos sistemas de arma e de combate na área de Arraial do Cabo.

O Tapajó fundeado em Arraial do Cabo. (foto: S Tapajó) O Tapajó fundeado em Arraial do Cabo. (foto: S Tapajó) O Tapajó fundeado em Arraial do Cabo. (foto: S Tapajó) O Tapajó fundeado em Arraial do Cabo. (foto: S Tapajó)

2013

Entre os dias 10 e 15 de março esteve no porto de Natal-RN.

O Tapajó atracado em Natal em 12 de março de 2013, quando de uma escala técnica na travessia para uma comissão com a Marinha dos EUA. (foto: Ícaro Luiz Gomes – Revista Forças de Defesa – 11/03/2013) Detalhe da vela mostrando de perto a “bolacha” do submarino Tapajó. (foto: Ícaro Luiz Gomes – Revista Forças de Defesa – 12/03/2013)

Chegou a San Juan (Puerto Rico) depois de 25 dias de travessia para realizar exercícios com a U.S. Navy.

No dia 5 de maio, o Tapajó suspendeu de Porto Canaveral, na Flórida, para realizar o lançamento instrumentado de dois torpedos MK 48 ADCAP MOD 6 AT. O evento ocorreu na raia da Atlantic Undersea Test and Evaluation Center (AUTEC), nas Bahamas, ao largo da Ilha de Andros. Durante o adestramento, o Tapajó teve como alvo o Navio Range Hover. O exercício atendeu a uma das etapas do processo de conclusão da modernização do Sistema de Combate Integrado AN BYG 501 Mod 1D, um complexo conjunto de equipamentos que integra a direção de tiro com os sensores de bordo e seus periféricos de auxílio à navegação, permitindo uma acurada compilação do quadro tático.

Em 10 de maio chegou a Mayport (Florida-EUA) para iniciar sua participação no exercício COMPTUEX junto com unidades do Grupo de Ataque do NAeN USS Harry S. Truman - CVN 75.

O Tapajó em manobra de atracação em Mayport (Flórida-EUA) em 10 de maio de 2013. (foto: U.S.Navy)

Participou do exercício SUSTAINEX com o Grupo de Ataque do NaeN USS Harry S. Truman - CVN-75, uma comissão pré-desdobramento realizada no Oceano Atlântico entre os dias 3 e 17 de junho.

Em 20 de junho, atracado na Base Naval de Mayport, recebeu a visita do Comandante da 4ª Frota e das Forças Navais dos EUA no Comando Sul, Contra-Almirante (USN) Sinclair Harris.

Entidade custodiadora

Procedência

Submarino Tapajó.

Âmbito e conteúdo

Documentos relacionados ao Submarino Tapajó.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Condições de acesso

Livre acesso.

Condiçoes de reprodução

Sem restrição de reprodução.

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

30/10/2013

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados