Fundo SBTMOI - Submarino Tamoio

Código de referência

RJDPHDM SBTMOI

Título

Submarino Tamoio

Data(s)

  • 17/07/1995 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Suporte papel: A4
Suporte digital: .PDF

Nome do produtor

(17/07/1995)

História administrativa

O Submarino Tamoio - S 31, foi o terceiro navio e o segundo submarino a ostentar esse nome(1) na Marinha do Brasil em homenagem ao guerreiro Tamoio. Foi ordenado junto ao AMRJ - Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, Ilha das Cobras, Rio de Janeiro. Teve sua quilha batida em 15 de julho de 1986. Foi lançado e batizado em 18 de novembro de 1993, tendo como Madrinha Srta. Tatiana de Faro Orlando, neta do primeiro Comandante do primeiro Submarino Tamoyo, em cerimônia que contou com a presença do Presidente da Republica Dr. Itamar Franco. Em 14 de julho de 1994, se fez ao mar pela primeira vez para ajuste da propulsão, na superfície. No dia 16 de julho, realizou a imersão estática na Baia da Guanabara. Nesta sua primeira singradura navegou 18,6 milhas, permanecendo 3 horas de imersão, e completou o seu primeiro dia de mar. Iniciou as provas de mar, que se prolongaram pelos seis meses seguintes. Nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, realizou sua primeira imersão a grande profundidade (IGP). Essas provas foram monitoradas e acompanhadas por engenheiros e técnicos do AMRJ, da DEN e do Centro de Estruturas Navais e Oceânicas da Universidade de São Paulo (CENO-USP). Foi entregue pelo AMRJ e submetido a Mostra de Armamento em 12 de dezembro de 1994. Naquela ocasião, assumiu o comando o Capitão-de-Fragata Flávio de Moraes Leme.

No dia 15 de fevereiro de 1995, dando prosseguimento as provas de mar, realizou o teste de máxima profundidade de imersão, atingindo uma profundidade superior a 300 metros, até então nunca atingida por um submarino brasileiro. Esse mergulho marcou o encerramento das provas de mar, envolvendo a parte estrutural e mecânica, no qual foram realizados diversos testes, tais como: ajuste da planta propulsora, medições de nível de ruído irradiado, tabelas de velocidades, ajuste do sistema de controle de governo, calibragem do odômetro em cotas profundas, funcionamento do sistema snorquel, lançamento em imersão das balsas salva-vidas. é bóia marcadora, e outras verificações em diversos sistemas de bordo. Em março, iniciou as provas relativas aos equipamentos eletrônicos, quando serão testados os sensores de bordo, os sistemas de navegação e o sistema de direção de tiro, culminando com o lançamento de dois torpedos Mk-24 Tigerfish. Depois de realizar as provas de mar, foi entregue ao setor operativo e incorporado a Esquadra em 17 de julho de 1995.

A oficialidade do recebimento do Tamoio foi a seguinte:

- CF Flávio de Moraes Leme - Comandante
- CC Luiz Cláudio Peixoto de Azevedo - Imediato
- CT Fabio Augusto Neman - CheMaq

- CT Cláudio Viola - CheOpe

- CT Jorge Felippe da Cruz Neto - Enc.Div. M
- CT Ricardo Jorge Cruz de Aragão - Enc.Div. T
- CT Luiz Carlos Rôças Corrêa - Enc.Div. O

- 1ºTen. Gilberto Carlos Salles dos Santos - Enc.Div. S

1995

Em 12 de dezembro, completou um ano de incorporação, tendo até até essa data atingido as marcas de 118 dias de mar e 12.500 milhas navegadas e 1.196 horas de imersão, tendo participado das Operações UNITAS, FRATERNO e DRAGÃO..

1996

Em março, realizou adestramento no ambito da Esquadra com as F Niterói - F 40, Constituição - F 42 e Liberal - F 43, os CT Paraná - D 29 e Mariz e Barros - D 26, as Cv Júlio de Noronha - V 32 e Frontin - V 33 e o S Tupí - S 30. Visitou o porto de Santos-SP de 8 a 11/03.

Entre 17 e 22 de novembro, integrou o Grupo-Tarefa brasileiro que participou da Operação FRATERNO XVI, realizada em águas argentinas. Além do Tamoio integravam o GT o NAel Minas Gerais - A 11 (capitania), o CT Mariz e Barros - D 26, e a F Liberal - F 43 que se juntaram ao GT depois da ARAEX. Participaram desse exercício pela Armada Argentina a F ARA Almirante Brown - D 10, e as Cv ARA Spiro - F 43 e ARA Guerrico - P 32 e ARA San Juan - S 42.

O Tamoio, afundou o casco do ex-CT Marcilio Dias - D 25, em exercício com o torpedo Tigerfish - Mk-24.

Em 12 de dezembro, completou 2 anos de incorporação a Armada, no transcurso de uma patrulha de trinta dias, quais vinte e oito e meio em imersão. Até essa data o navio havia completado 260,5 dias de mar e 3.536 horas de imersão.

1997

Em maio, realizou viagem ao exterior, integrando um GT com a F União - F 45 e a Cv Júlio de Noronha - V 32, participando a convite de Portugal da Operação LINKED SEAS 97 da OTAN, realizada entre os dias 15 e 19 de maio ao largo da Península Ibérica, entre a costa portuguesa e o Estreito de Gibraltar. Nessa operação, o Tamoio conseguiu "afundar" o Porta-Aviões espanhol SMS Príncipe de Asturias - R 11, furando o bloqueio da escolta composto por mais de dez fragatas e contratorpedeiros. Entre outros navios participou desse exercício a Cv francesa Amyot D'Inville - F 782. Essa comissão durou 68 dias e foram navegadas mais de 12.000 milhas náuticas, com o GT retornando a Base Naval do Rio de Janeiro em 16 de junho.

O Tamoio, em Portugal durante a Operação LINKED SEAS 97 da OTAN. Ao fundo um NT frânces da classe Durance. (foto: Revista Força Aérea)

Em 11 de agosto, com o navio atracado na BACS, recebeu a bordo a visita do Vice-Presidente Marco Maciel.

Em 22 de agosto, em GT com as F Bosisio - F 48 e Liberal - F 43, realizou exercícios de operações anti-submarino e anti-superfície, operações aéreas e passagem de carga leve no mar, operando ao sul da Ilha Rasa, para demonstrar um pouco das atividades da Esquadra para uma comissão de parlamentares que embarcou nesses navios.

Entre 15 e 19 de setembro, participou de exercícios combinados sob o comando do Comandante da 1ª Divisão da Esquadra (Com1ªDiv), Contra-Almirante Rayder Alencar da Silveira, na área Rio-Vitória, com as F Niterói - F 40 e F Liberal - F 43, o CT Paraná - D 29 e mais um da classe Pará, a Cv Frontin - V 33 e o NT Almirante Gastão Motta - G 23.

Entre 21 de setembro e 15 de novembro, participou da Operação UNITAS XXXVIII, realizada em águas argentinas, uruguaias e brasileiras. O Grupo-Tarefa brasileiro, sob o comando da 2ª Divisão da Esquadra foi formado além do Tamoio, pelas F Independência - F 44 e União - F 45, Cv Jaceguai - V 31, CT Paraná - D 29, NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23. O nosso GT foi integrado a FT-138, composta também por unidades dos EUA, Argentina, Uruguai, Espanha e Canadá. Foram visitados os portos de Buenos Aires (Argentina), Montevideo (Uruguai), Rio de Janeiro-RJ e Recife-PE.

Em 30 de outubro, recebeu a visita do Comandante e do Sub-Comandante da Escola Superior de Guerra (ESG), respectivamente General-de-Exercito Expedito Hermes Rego Miranda e Major-Brigadeiro Fernando de Almeida Vasconcelos.

1998

Em janeiro, participou da Operação ASPIRANTEX/98 integrando uma Força-Tarefa, sob o comando do Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, junto com os NDD Ceará - G 30 e Rio de Janeiro - G 31, NDCC Mattoso Maia - G 28, F Independência - F 44, Greenhalgh - F 46 e Bosisio - F 48, CT Paraná - D 29 e a Cv Julio de Noronha - V 32. Foram visitados os portos de Salvador-BA, Ilhéus-BA e Vitória-ES.

Entre 16 e 23 de junho, foi submetido a tratamento magnético na Base Naval de Aratu, em Salvador. Essa foi a primeira vez que esse processo foi aplicado em submarinos no Brasil.

Em 31 de outubro, realizou exercício com as F União - F 45 e Dodsworth - F 47, ao largo do Rio de Janeiro.

1999

No primeiro trimestre realizou o embarque de Aspirantes da Escola Naval como parte do Estagio de Verão de 1999.

Em 4 de julho, partiu do Rio de Janeiro, para realizar viagem ao exterior, com destino a Base Naval de Roosevelt Roads (Porto Rico), iniciando assim sua participação nas Operações KEYPORT e ENDURANCE 99. Essa operação teve o propósito de prover uma maior interação entre unidades da MB e da USN, sendo realizados exercícios submarino x submarino com o USS Hampton - SSN 767, três dias ininterruptos de operações com aeronaves A/S P3C Orion no Atlântico Norte e Caribe, um exercício PASSEX com um cruzador AEGIS classe Ticonderoga e uma fragata classe Oliver H. Perry, e a parte menos interessante que foi um teste acústico nas proximidades da Ilha de St. Croix no Caribe, monitorados pelo navio auxiliar Acoustic Pioneer, que é operado pelo Centro de Desenvolvimento de Aviônica Naval, localizado em St. Croix (Ilhas Virgens), no desenvolvimento de sonobóias. Durante essa comissão houve o intercâmbio de oficiais e praças, tendo também sido visitados nos portos os Submarinos Lançadores de Mísseis Balísticos USS Pennsylvania - SSBN 735, USS Maine - SSBN 741, o Submarino Nuclear de Ataque USS Connecticut - SSN 22. Essa foi a primeira oportunidade em que um submarino brasileiro ficou sob o controle operacional do Comando da Força de Submarinos do Atlântico da USN (COMSUBLANT). Retornou ao Rio 30 de outubro, após 119 dias de comissão, 81.5 dias de mar e 1.450 horas de imersão.

2000

Entre 30 de maio e 9 de junho, participou da Operação ADEREX II/00 realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Além do Tamoio, integraram o GT sob o comando do CA Reginaldo Gomes Garcia dos Reis, ComDiv2E, a F Dodsworth - F 47 (capitânia), F União - F 45, Cv Júlio de Noronha - V 32, CT Paraná - D 27 e do NT Marajó - G 27. Também participaram do exercício, aeronaves da FAB. Foi visitado o porto de Santos-SP.

Entre 20 de junho e 6 de julho, participou das operações ADEFASEX III/IV e ADEREX III/00.

Entre 10 e 20 de outubro, realizou exercícios na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo.

Em outubro, já tinha atingido as marcas de 585 dias de mar, 10.612 horas de imersão e 73.379 milhas navegadas.

Em dezembro, atingiu as marcas de 608 dias de mar, 11.120 horas de imersão e 76.312 milhas navegadas.

2001

Entre 9 e 26 de janeiro, participou da comissão ASPIRANTEX 01/ADEREX I/01, integrando o GT 801.2, sob o comando do Comando da 2ª Divisão da Esquadra (Com2ªDivE), tendo visitado os portos de Salvador-BA e Vitória-ES.

Em março, realizou exercício em conjunto com o CT Pernambuco - D 30 e a F Greenhalgh - F 46, na região de Cabo Frio-RJ.

Em 17 de julho, completou 6 anos de serviço, atingindo as marcas de 608 dias de mar, 11.120 horas de imersão e 76.312 milhas navegadas.

Entre 10 e 23 de outubro, participou da comissão PASSEX-FRANÇA 01, na área compreendida entre Cabo Frio e Angra dos Reis, junto com as F Rademaker - F 49 e Niterói - F 40, e as F Primauguet – D 644 e Cv Commandant Birot – F 796, da Marinha Francesa, integrando um GT sob o comando do Comandante do 1º Esquadrão de Escoltas.

Foi o segundo IKL-209 a realizar o PMG no AMRJ, que durou cerca de três anos e meio, e seguiu um processo semelhante ao do Tupi.

2004

Depois de concluir o PMG, seguiu-se a fase de alinhamento dos sistemas para que o navio pude-se iniciar um novo ciclo operativo. Dentro desta fase, o navio realizou corrida na Raia Magnética da Ilha de Itaparica, do Complexo de Magnetologia da Base Naval de Aratu, em Salvador-BA.

Entre 6 e 19 de novembro, integrando o GT brasileiro junto com a F Defensora - F 41, participou da Operação UNITAS XLVI realizada em águas uruguaias e argentinas sob o comando operacional do Contra-Almirante (ROU) Oscar P. Debali de Pelleja. Também participaram do exercício a F ARA Sarandi - D 13, Cv ARA Spiro - F 43 e S ARA San Juan - S 42, CTG CMG (ARA) Antonio Torres da Armada Argentina; F SPS Victoria - F 82 a e NT SPS Patiño - A 14, pela Armada Espanhola; F ROU Montevideo - ROU 3, NV ROU Audaz - ROU 34, ROU Temerario - ROU 31 e ROU Fortuna - ROU 33, NPa ROU 15 de Noviembre - ROU 6 e ROU 25 de Agosto - ROU 5, e os NAp ROU Maldonado - ROU 23 e ROU Oyarvide - ROU 22, pela Armada Uruguaia; a F USS John L. Hall - FFG 32 e USS De Wert - FFG 45, CTG CA (USN) Vinson Smith, da da Marinha dos EUA. Também participaram aeronaves orgânicas de vários navios e aviões HC-130 e Lear Jet da USAF.

2005

Entre os dias 7 e 8 de dezembro, visitou Santos, junto com a F Independência - F 44 e a Cv Jaceguai - V 31, participando das comemorações do dia do Marinheiro.

2006

Entre 16 de janeiro e 2 de fevereiro, participou da Operação ASPIRANTEX-06, sob comando do CA Sérgio Antonio da Conceição Freitas, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, e foi realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e a Bahia. Primeiro grande exercício da Esquadra no ano, foi mais uma vez realizado com o intuito de manter o aprestamento das forças navais e proporcionar treinamento no mar para aspirantes da Escola Naval e dos oficiais-alunos da Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante. Também fizeram parte do Grupo-Tarefa as F Niterói – F 40, Defensora – F 41 e Rademaker – F 49; a Cv Jaceguai – V 31; o NDD Rio de Janeiro – G 31; o NDCC Mattoso Maia – G 28; o NTrT Ary Parreiras – G 21; o NT Marajó – G 27; o S Tupi – S 30; e diversas aeronaves da ForAerNav. Além dos meios da Esquadra, participaram, também, o RbAM Tridente – R 22 e o NPa Guaporé – P 45, ambos do 1º Distrito Naval, e aeronaves P-95A Bandeirulha do 4º/7º GAv e A-1 AMX do 1º/16º GAv, da Força Aérea Brasileira. Os navios estiveram nos portos de Salvador-BA, entre 20 e 24 de janeiro, e em Vitória-ES, de 27 a 30 de janeiro.

Participou da Operação TROPICALEX-I/06, realizada no período de 1º de maio a 1º de junho ao longo do litoral das regiões Nordeste e Sudeste, integrando o Grupo-Tarefa 705.1 composto pelas F Bosisio - F 48, Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, Niterói - F 40 e Independência - F 44; Cv Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33; CT Pará - D 27; NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23; NDD Rio de Janeiro - G 31; NDCC Mattoso Maia - G 28 e o S Tapajó - S 33. A operação contou com o apoio do NSS Felinto Perry - K 11 e com a participação dos seguintes navios distritais: RbAM Tridente - R 22 e NPa Gurupi - P 47 do 1º DN; Cv Caboclo - V 19, NPa Guaratuba - P 50 e Gravataí - P 51 e NV Atalaia - M 17, Araçatuba - M 18, Abrolhos - M 19 e Albardão - M 20, do 2º DN e o RbAM Trindade - R 26 e os NPa Grajaú - P 40, Goiana - P 43 e Graúna - P 42 do 3º DN. Também participaram aeronaves da ForAerNav e da FAB.

Entre 9 e 14 de outubro, participou da Operação FRATERNO XXV, que nesta edição foi realizada em águas argentinas, entre Puerto Belgrano e Necochea, integrando o Grupo-Tarefa 709.5, que incluía ainda as F Rademaker - F 49 e Constituição – F 42, o NDD Ceará - G 30. O GT brasileiro, sob o comando do Comandante do 1º Esquadrão de Escolta, CMG Rodolfo Henrique de Saboya, partiu do Rio de Janeiro em 26 de setembro, e escalou em Rio Grande de 29/09 a 02/10. O Grupo-Tarefa argentino, foi formado pela F ARA La Argentina - D 11, CT ARA Hercules - D 1, Cv ARA Parker - F 44 e Gómez Roca - F 46, NApLog ARA Patagônia - B 1, NA ARA Teniente Olivieri - A 2 e ARA Punta Alta - Q 63 e o S ARA Salta - S 31.e aeronaves da ANA, sob o comandado do Comandante da Division de Corbetas, Capitan-de-Navio Leandro Ramón Gurina. Foi visitada a Base Naval de Puerto Belgrano.

2007

O Tamoio na Baia da Guanabara em fevereiro de 2007. (foto: César T. Neves)

Realizou exercício PASSEX, integrando GT com o NT Almirante Gastão Motta - G 23, às F Independência - F 44 e Bosisio - F 48 e o S Tamoio - S 31, com um GT 40.0 norte-americano formado pelo CT USS Mitscher - DDG 57, pela F Samuel B. Roberts - FFG 58, pelo NDD Pearl Harbour - LSD 52 e Fragata chilena CS Latorre - FFG 14. Esses navios se dirigiam para Argentina a fim de participar da Operação UNITAS XLVIII, já os navios brasileiros estiveram em Itajaí, antes de se dirigir para ao vizinho.

Entre 4 e 11 de maio, participou da Fase Atlântico da Operação UNITAS XLVIII, realizada em águas argentinas. Integrando o GT brasileiro (CTG CMG Marco Antonio Falcão) junto com o NT Almirante Gastão Motta - G 23, as F Independência - F 44 e Bosisio - F 48 e o S Tamoio - S 31. O GT norte-americano (CTG CAPT Snyder) foi formado pelo CT USS Mitscher - DDG 57, pela F USS Samuel B. Roberts - FFG 58 e pelo NDD USS Pearl Harbour - LSD 52; o argentino pelos D ARA Almirante Brown - D 10, ARA La Argentina - D 11, as Cv ARA Spiro - F 43 e ARA Gómez Roca - F 46, NT ARA Patagônia - B 1, S ARA Salta - S 31, Av ARA Teniente Olivieri - A 2 e NB ARA Punta Alta - Q 63 além da Fragata espanhola SMS Santa Maria - F 81 e da chilena CS Latorre - FFG 14.

Foram visitados os portos de Bahia Blanca (30 de abril a 2 de maio), de Buenos Aires (18 a 20 de maio), retornando ao Rio de Janeiro em 31 de maio.

2008

Entre 14 e 27 de janeiro, participou de parte da ASPIRANTEX 08.

Em 16 de fevereiro, acompanhado da F Bosisio - F 48, realizou Operação PASSEX, com o NE Jeanne D´Arc - R 97 e a F Georges Leygues - D 640, que escalaram no Rio de Janeiro, entre os dias 11 e 16, durante a 43ème campagne du Groupe Ecole d'Application des Officiers de Marine.

Em 9 de maio, participou de Desfile Naval, realizado como parte das comemorações alusivas ao 200º Aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais, junto com o NDCC Garcia D'Avila - G 29, as F Liberal - F 43 e Bosísio - F 48, as Cv Júlio de Noronha - V 32 e Frontin - V 33, o NT Almirante Gastão Motta - G 23, o NSS Felinto Perry - K 11, o NHi Sirius - H 21 e o NPa Guaporé - P 45.

No período de 25 de maio a 4 de junho foi realizada, nas proximidades da Ilha de Jorge Grego, na baía de Ilha Grande, em Angra dos Reis-RJ, a Operação SARSUB-II/2008, da qual participou junto com o NSS Felinto Perry - K 11, NHOc Taurus - H 36 e o AvApCos Almirante Hess BACS 01. Foram realizados os seguintes exercícios: Busca e localização de um submarino sinistrado pousado no fundo; Passagem de ar de alta pressão; Passagem de material; Recolhimento e assistência médica aos tripulantes do submarino que escaparam pela guarita de salvamento e Resgate de dois tripulantes pelo sino de resgate de submarinos. Com mais essa operação SARSUB foi concluído com sucesso, o ciclo de adestramento de acoplamento do Sino de Resgate Submarino em todos os seus submarinos classe "Tupi". O exercício contou também, com a participação de dois oficiais observadores da Armada Argentina, que demonstraram grande interesse na capacidade da Marinha do Brasil em realizar Socorro e Salvamento de Submarinos.

Entre 30 de maio e 02 de junho, esteve em Santos-SP, acompanhado pelo NSS Felinto Perry.

Entre 21 e 29 de julho, participou da Operação ADEREX-I/08, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Também participaram da comissão as F Niterói - F 40, Independência - F 44 (capitania), Bosisio - F 48 e Rademaker - F 49, as Cv Inhaúma - V 30 e Frontin - V 33, NT Almirante Gastão Motta - G 23 e o NDCC Mattoso Maia - G 28. Foi visitado o porto de São Sebastião-SP.

Entre 1º e 9 de setembro, esteve na Base Naval de Mar del Plata (Argentina), por ocasião das comemorações do 75º Aniversario da Força de Submarinos Argentina, criada em 3 de setembro de 1933.

O Tamoio, atracado em Mar de Plata, por ocasião do 75º Aniversario da Força de Submarinos Argentina. (foto: Walter Travaglini, via Luiz Eduardo Padilha) O Tamoio, suspendendo de Mar de Plata, depois de participar das comemorações do 75º Aniversario da Força de Submarinos Argentina. (foto: Walter Travaglini, via Luiz Eduardo Padilha)

No retorno da Argentina esteve em Rio Grande-RS.

O Tamoio esteve em Rio Grande no retorno de comissão a Argentina onde participou dos eventos comemorativos do 75º Aniversario da Força de Submarinos Argentina. (foto: Marcelo Vieira - 15/09/2008) O Tamoio esteve em Rio Grande no retorno de comissão a Argentina onde participou dos eventos comemorativos do 75º Aniversario da Força de Submarinos Argentina. (foto: Marcelo Vieira - 15/09/2008) O Tamoio esteve em Rio Grande no retorno de comissão a Argentina onde participou dos eventos comemorativos do 75º Aniversario da Força de Submarinos Argentina. (foto: Marcelo Vieira - 15/09/2008)

2009

Nos dias 23 e 24 de março, o Esquadrão HU-2 (2° Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral) deu um importante passo de cunho operativo: de forma similar as já praticadas manobras de inserção e extração de pessoal em embarcações miúdas e veleiros, um UH-14 (Super Puma) realizou pela primeira vez a faina em conjunto com o Submarino Tamoio pelo método de Hi-Line. O adestramento foi realizado com grande sucesso, e em quatro circuitos distintos, uma maca com OSCAR (um boneco que simula o corpo humano) foi retirada e devolvida ao S 31.

Em 13 de maio, participou da Operação SARSUB-II/2009, junto com o NSS Felinto Perry - K 11. O exercicio de resgate foi conduzido a 6 milhas ao sul de Salvador-BA, em mar aberto a uma profundidade de 68 metros, com apoio de mergulho saturado. O resgate durou cerca de 10 horas, em função das dificeis condições ambientais, após o pôr-do-sol. A Operação, que foi realizada, pela primeira vez, fora da área do Rio de Janeiro.

Tomou parte na Operação ADEREX-II/09 que aconteceu no período de 27 de julho a 6 de agosto, na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro-RJ e Vitória-ES, sob o comando do CA Ilques Barbosa Junior, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra, embarcado na Fragata Defensora. Outros meios que participaram foram os integrantes do Grupo-Tarefa 707.1, constituído pelas F Defensora – F 41 e Bosísio – F 48, as Cv Jaceguai – V 31 e Frontin – V 33 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23. Da operação ainda tomaram parte o S Timbira – S 32, o NPa Gurupá – P 46, o RbAM Tridente – R 22, embarcações da CPRJ e da CPES, helicópteros UH- 12/13 Esquilo, AH-11A Super Lynx, UH-14 Super Puma e SH-3A Sea King, além de aviões de interceptação e ataque AF-1 Skyhawk, mergulhadores de combate, assim como aviões de patrulha P-95 e de ataque AMX – A1 da Força Aérea Brasileira (FAB). Também participou o N/T "Nilza" da TRANSPETRO durante o exercício contra ameaças assimétricas com a participação do GruMEC. Foi visitado o porto de Vitória entre os dias 1º e 4 de agosto.

O submarino Tamaio destacando-se contra a silhueta do NT Almirante Gastão Motta durante a ADEREX-II/09. (foto: 1º SG-CP Auto, via ComemCh)

2010

O Tamoio passando por reparos de rotina no AMRJ, no Dique Almirante Jardim a ex-Fragata Dosdworth docada para inspeção e preparação para ter seu casco usado como alvo. (foto: Alexandre Galante)

Tomou parte na Operação ADEREX-II/2010 que foi realizada no período de 16 a 25 de novembro na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro e Santos. O Grupo-Tarefa foi constituído pelas F Niterói – F 40, Constituição – F 42, Independência – F 44 e Bosisio – F 48; Cv Jaceguai – V 31 e Frontin – V 33; NT Almirante Gastão Motta – G 23; NDD Rio de Janeiro – G 31; e NDCC Almirante Sabóia – G 25. Participaram, ainda, o S Timbira – S 32; embarcações das Capitanias dos Portos do Rio de Janeiro e de São Paulo; helicópteros UH-12/13 Esquilo, AH-11A Super Lynx e SH-3 A/B Sea King; aviões de interceptação e ataque AF-1 Skyhawk; além de aviões de patrulha P-95 Bandeirulha e de ataque A-29 Super Tucano, da Força Aérea Brasileira (FAB). Foi visitado o porto de Santos entre os dias 19 e 22 de novembro.

2011

Participou da Operação ASPIRANTEX-2011, realizada entre 7 e 28 de janeiro no Sul, prestando apoio as unidades que integravam o Grupo-Tarefa 701.1, sob o comando do CA Wagner Lopes de Moraes Zamith. Estavam embarcados nos navios do GT-701.1, 253 Aspirantes da Escola Naval, sendo 170 do segundo ano e 83 do terceiro. O GT era formado pelas F Niterói – F 40 (capitânia), Constituição – F 42 e Bosísio – F 48, Cv Frontin – V 33, NDCC Almirante Sabóia – G 25 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23, apoiados por dois AH-11A Super Lynx (F 40 e F 42), um UH-12 e um UH-13 Esquilo (F 48 e V 33) e um UH-14 Super Puma (G 25). Ainda apoiaram a operação o S Timbira – S 32, além de meios Distritais e das Capitanias dos Portos, aeronaves AF-1 Skyhawk da ForAerNav e aeronaves da FAB. No dia 12 o GT foi dividido nas Unidades-Tarefa 701.1 que seguiu para Buenos Aires e Rio Grande e 701.2 que seguiu para Montevideo e Rio Grande, esse sob o comando do CA Edlander dos Santos. Foram visitados os portos de Mar del Plata (13 a 17/01) e Rio Grande (20 a 24/01).

Entre 19 de abril e 9 e maio, participou da operação UNITAS LII realizada em águas brasileiras com unidades navais dos EUA, Argentina e México. A primeira fase ocorreu entre 19 e 26 de abril, na área marítima entre Salvador e Rio de Janeiro; e a segunda de 2 a 9 de maio, na área marítima entre o Rio de Janeiro e Rio Grande. O Grupo-Tarefa brasileiro foi formado pelas fragatas Niterói – F 40, Constituição – F 42, substituida pela Independencia - F 44 na segunda fase, e Bosisio – F 48, pelos submarinos Tamoio – S 31 e Tikuna – S 34 e pelo navio-tanque Almirante Gastão Motta – G 23, além de um helicóptero AH-11A Super Lynx e dois UH-12 Esquilo, já o GT norte-americano foi formado pelo contratorpedeiro USS Nitze – DDG 94, as fragatas USS Boone – FFG 28 e USS Thach – FFG 43 e o cutter da Guarda Costeira USCGC Escanaba – WMEC 907, o argentino pela fragata ARA Almirante Brown – D 10 e o mexicano pelo navio-patrulha oceânico ARM Baja California - PO 162. Os navios brasileiros atracaram em Salvador na quinta-feira, dia 14 de abril e os estrangeiros no dia 15. O Contra-Almirante Edlander Santos, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, embarcado na Niterói, exerceu o comando do Grupo-Tarefa multinacional.

Em 26 de maio recebeu a visita de seis membros do Poder Legislativo, sendo quatro deputados federais e dois Assessores e dois representantes do Gabinete do CM.

Entre 15 e 18 de julho esteve em Santos-SP.

Em 28 de julho, recebeu a visita do Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas General-de-Exército José Carlos De Nardi. Acompanharam a visita o Chefe de Preparo e Emprego do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, General-de-Exército João Carlos Vilela Morgero; o Vice-Chefe de Preparo e Emprego do EMCFA, Vice-Almirante Ney Zanella dos Santos; o Chefe do Gabinete do Comandante da Marinha, Contra-Almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior; o Subchefe de Operações do EMCFA, Major-Brigadeiro Gerson Machado de Oliveira Nogueira; o General-de- Brigada, Roberto Severo Ramos; e o Comandante da ForS, Contra-Almirante Afrânio de Paiva Moreira Junior. Também estiveram a bordo o Diretor-Geral do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia, Rogério Guedes Soares, e o Chefe de Gabinete Adjunto de Agenda do Gabinete Pessoal da Presidência da República, Oswaldo Buarim Junior.

Em 4 de agosto recebeu a visita de uma delegação da Marinha da Índia chefiada pelo VA (IN) D.K. Dewan, que estava em visita ao Comando da Força de Submarinos por ocasião da I Reunião de Estados-Maiores da Marinha do Brasil e da Índia.

No dia 7 de setembro participou do Desfile Naval em comemoracao a Indepedencia do Brasil, realizado entre a barra da Tijuca e a entrada da Baia da Guanabara, e do qual participaram o NAe São Paulo - A 12, as F Niterói – F 40 e Independência – F 44, a Cv Barroso – V 34, o NT Almirante Gastão Motta – G 23, o NHO Cruzeiro do Sul – H 38, os NPa Guajará – P 44 e Gurupá – P 46 e o S Tamoio – S 31.

Em outubro prestou apoio a Operação TROPICALEX-2011, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Natal, pela Força-Tarefa 710.1, sob o comando do ComemCh, VA Wilson Barbosa Guerra. A FT-710.1 foi formada pelas F Niterói – F 40 (capitânia), União – F 45, Greenhalgh – F 46 e Bosisio – F 48, a Cv Barroso – V 34 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23, além de 2 aeronaves UH-12/13 Esquilo e 3 aeronaves AH-11A Super Lynx, distribuídas pelos navios. Também atuaram em apoio aos exercícios o S Tikuna – S 34, o NSS Felinto Perry - K 11, a Cv Caboclo – V 19, na área do 2º DN, os NPa Gurupá – P 46, na área do 1º DN e Grajaú – P 40 na área do 3º DN, além de uma aeronave P-95 Bandeirante Patrulha e dois caças-bombardeiros A-1 da FAB.

2012

Participou da Operação ASPIRANTEX-12 realizada entre 13 de janeiro e 1º de fevereiro na área marítima entre o Rio de Janeiro e os litorais argentino e uruguaio.

Participaram da Operação as F Niterói – F 40, Liberal – F 43 e Greenhalgh – F 46, as Cv Barroso – V 34 e Frontin – V 33, o NDCC Almirante Sabóia – G 25, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e o S Tamoio – S 31, integrando GT sob o comando do CA Carlos Augusto de Moura Resende, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra.

O navio esteve em Montevideo (Uruguai) entre 19 e 23/01 e Itajaí de 27/01 a 01/02.

Entre 2 e 12 de abril participou da Operação ADEREX-I/12 realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo, junto com as F Niterói – F 40, Greenhalgh – F 46 e Bosísio – F 48, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e o NPa Guajará - P 44. Os navios formaram o GT-704.1 sob o comando do CA Wilson Pereira de Lima Filho, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra. Também participaram do exercício aeronaves AH-11A Super Lynx, UH-13 Esquilo-Bi e UH-14 Super Puma da ForAerNav e P-95 Bandeirante Patrulha, A-29 Super Tucano e 1 P-3AM Orion, sendo que essa última participou pela primeira vez. Foram realizados exercícios de desatracação sob ameaças assimétricas, adestramento de postos de abandono, operações aéreas, homem ao mar, avarias operacionais de máquinas, emprego dos equipamentos de Guerra Eletrônica, reboque, ações coordenadas antissubmarino e apoio de fogo naval. Dentre os eventos realizados, destaca-se a condução de ações coordenadas antissubmarino, com emprego, pela primeira vez, da aeronave P-3AM da Força Aérea Brasileira em conjunto com a Esquadra, ainda que em caráter de familiarização. Um oficial do Comando da 1ª Divisão da Esquadra embarcou naquela aeronave. Além disso, outro evento que mereceu atenção foi o exercício de apoio de fogo naval, empregando velocidades e distâncias navio-alvo maiores, conforme os novos procedimentos adotados nos exercícios tipo GUNEX atualmente empregados pelas Marinhas da OTAN. Esteve no porto de Santos-SP de 5 a 9 de abril.

Em 11 e 13 de junho participou da operação PASSEX com o BPC Dixmude – L 9015 e a F Georges Leygues – D 640, da Marinha Francesa, integrando o GT-706.2 com as F Niterói – F 40 e Greenhalgh – F 46, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e um NPa do 1º DN. Foram realizados desembarque anfíbio na área da Marambia, na Baia de Sepetiba, operações aéreas, transito sob ameaça aérea, submarina e de superfície, tiro de superfície e TOM. Também participaram do exercício um elemento anfíbio composto por infantaria e CLAnf, além da EDCG Camboriú e diversas aeronaves da ForAerNav.

Participou da Operação TROPICALEX 2012, realizada entre os dias 23 de julho e 4 de agosto, na área marítima entre o Rio de Janeiro e a Bahia, junto com as F Greenhalgh – F 46, Bosisio – F 48, Niterói – F 40 e Independência - F 44, a Cv Barroso – V 34 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23. Participaram também aeronaves da ForAerNav, a Cv Caboclo – V 19, o NPa Gravataí – P 51 e os NV Albardão – M 20 e Anhatomirim – M 16, do 2º Distrito Naval, o NPa Guarujá – P 49 do 3º Distrito Naval, RbAM Almirante Guillobel - R 25 do 1º Distrito Naval, além de Lanchas da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro e uma aeronave P-3AM Orion da FAB. Foi visitado o porto de Salvador entre os dias 27 e 30 de julho.

Entre 27 de agosto e 11 de setembro participou da Operação FRATERNO XXX na área marítima entre Itajaí e o Rio de Janeiro, junto com as F Niterói – F 40 e Bosisio – F 48, NT Almirante Gastão Motta – G 23 e a F ARA La Argentina – D 11 e Cv ARA Gómez Roca – F 46 da Armada Argentina.

Em 7 de setembro participou do Desfile Naval realizado na Orla do Rio de Janeiro em comemoração aos 190º Aniversário da Independência do Brasil da qual participaram o NVe Cisne Branco – U 20, o NDCC Almirante Sabóia – G 25, as F Niterói – F 40, Independência – F 44, União – F 45 e Bosísio - F 48, a Cv Barroso – V 34, o S Tamoio – S 31, o NHo Cruzeiro do Sul – H 38, os NPa Guaporé – P 45, Gurupi – P 47 e Macaé – P 70, o RbAM Almirante Guillobel – R 25, além da Cv ARA Gomez Roca – P 46, da Armada Argentina, e da F ROU Uruguay – ROU 01, da Armada Uruguaia. Também participaram do desfile aeronaves da Força Aeronaval.

Entidade custodiadora

Procedência

Submarino Tamoio.

Âmbito e conteúdo

Documentos relacionados ao Submarino Tamoio.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Condições de acesso

Livre

Condiçoes de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

30/10/2013

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados