Segundo Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais

Área de identificação

tipo de entidade

Entidade coletiva

Forma autorizada do nome

Segundo Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais

Forma(s) paralela(s) de nome

  • 2ºBTLINFFUZNAV

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

  • SEGBTI

Outra(s) forma(s) do nome

  • 95130

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

datas de existência

03/04/1963

história

O 2º Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais foi criado no início da década de 1960, em decorrência da reorganização do Corpo de Fuzileiros Navais.
Sua denominação "Batalhão Humaitá" faz referência ao episódio da Passagem de Humaitá que, juntamente com a Fortaleza de Curupaiti, constituía obstáculo de monta para o sucesso da campanha das forças da coalizão durante a Guerra da Tríplice Aliança. Em agosto de 1867, duas divisões com cinco encouraçados lograram ultrapassar Curupaití, sem perdas, mas foram obrigadas a deter-se frente aos poderosos canhões de Humaitá. Em fevereiro de 1868, uma divisão da Esquadra brasileira ultrapassou a Fortaleza de Humaitá. Neste episódio, a Força Terrestre desencadeou uma operação de cerco à fortaleza com finalidade de conquistar as margens do Rio Paraguai, enquanto a Força Naval brasileira manobrava para vencer as fortes correntes de ferro, que atravessavam o rio de uma margem a outra. Após sete dias de combate, a Fortaleza de Humaitá caiu, ficando aberta a via de comunicação fluvial para as Forças Aliadas. O êxito alcançado em Humaitá foi fundamental para a vitória final da Tríplice Aliança.
Esse feito heróico inspirou a denominação a ser atribuída ao segundo batalhão de infantaria criado no contexto do Núcleo da Primeira Divisão de Fuzileiros Navais, de acordo com o Aviso Ministerial nº 610/1963, datado de 03 de abril de 1963. O 2º Batalhão de Infantaria do Núcleo da 1ª Divisão de Fuzileiros Navais passou a se denominar Batalhão Humaitá, nome que simboliza a abnegação, o profissionalismo, o amor à pátria, a obstinação e o denodo com que os militares, que compõem a chamada "Falange Aguerrida" se dedicam ao cumprimento das missões que lhes são atribuídas. O Aviso Ministerial nº 1.043, de 09 de julho de 1965, marca a data em que passou a ser comemorado o aniversário desse valoroso Batalhão de Infantaria.

Locais

Rio de Janeiro

status legal

funções, ocupações e atividades

O Batalhão Humaitá tem as tarefas de localizar, cerrar sobre o inimigo, destruí-lo pelo fogo e pela manobra e repelir o ataque do inimigo pelo fogo e combate aproximado, a fim de contribuir para a organização, o preparo e o emprego dos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais organizados pela Força de Fuzileiros da Esquadra para a realização de operações anfíbias, ribeirinhas e operações terrestres de caráter naval.

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

contexto geral

Área de relacionamento

Área de ponto de acesso

Ocupações

Área de controle

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão e eliminação

05/09/2013 - Estagiário Gustavo Nascimento Rocha Dias

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Notas de manutenção

  • Área de Transferência

  • Exportar

  • EAC