Rebocador de Alto-Mar Almirante Guillobel

Área de identificação

tipo de entidade

Entidade coletiva

Forma autorizada do nome

Rebocador de Alto-Mar Almirante Guillobel

Forma(s) paralela(s) de nome

  • RBAMAGUILLOBEL

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

  • RGIBEL

Outra(s) forma(s) do nome

  • 81125

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

datas de existência

22/01/1981

história

O Rebocador de Alto Mar Almirante Guillobel - R 25, ex-Superpesa 5, é o primeiro navio a ostentar esse nome na Marinha do Brasil, em homenagem ao Almirante Renato de Almeida Guillobel. O Alte. Guillobel foi construído pelo estaleiro Sumitomo Heavy Industries, em Uraga, Japão. Foi adquirido pela MB em 1980 junto com seu irmão, o RAM Almirante Guilhem - R 24, ao armador Superpesa Maritime Transport Ltd., onde operava no apoio a plataformas de petróleo. Foi incorporado em 22 de janeiro de 1981, passando a subordinação do Grupamento Naval do Sul, então sediado no Rio de Janeiro.
1981

Entre 26 e 30 de abril, participou da Operação ARRASTÃO X, junto com o CT Santa Catarina - D 32, o S Riachuelo - S 22, a Cv Imperial Marinheiro - V 15, o AvIns Aspirante Nascimento - U 10 e o RbAM Tridente - R 22, realizada na região de Macaé, no litoral norte do estado do Rio de Janeiro.

Entre 31 de março e 7 de abril, integrando um GT do GrupNS composto pelo RbAM Tridente - R 22, e pela Cv Imperial Marinheiro - V 15, realizou exercícios entre o Rio de Janeiro e Santos. Foram executados tiro na Raia de Alcatrazes; manobras táticas; passagem de carga leve; fundeio de precisão; dois dos quais a noite nas enseadas de Palmas e de Pouso; reboque a contrabordo; reboque em linha e levantamento hidrográfico expedito. Essa operação e a ARRASTÃO X foram as primeiras comissões efetivas do Almirante Guillobel desde sua incorporação.

Em junho, realizou comissão de reabastecimento do POIT/81 - Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade.

Em novembro, participou da Operação DRAGÃO XVII, realizada em Itaóca-ES, integrando uma FT, sob o comando do ComenCh, VA Arthur Ricart da Costa, composta pelo NAeL Minas Gerais – A 11 (capitânia), pelos CT Rio Grande do Norte – D 37, Maranhão – D 33 e Alagoas – D 36, os NDCC Duque de Caxias – G 26 e Garcia D’Ávila – G 28, os NTrT Ary Parreiras – G 16 e Barroso Pereira – G 21, NO Belmonte – G 24, o S Tonelero – S 21 e as EDCG Guarapari – L 10 e Tambaú – L 11. Participaram também unidades da ForMinVar, ForAerNav e 5.000 fuzileiros navais.

1982

Em 28 de março, suspendeu de Imbituba (SC), com destino ao porto de Itaqui (MA), em faina de reboque da plataforma “Iemanjá. Embora subordinado ao Grupamento Naval do Sul, então sediado no Rio de Janeiro, o Almirante Guillobel também atua na área do 5º Distrito Naval, que abrange todo o litoral Sul do pais, desde o Paraná até o Rio Grande do Sul.

1983

Em setembro, foi acionado para realizar o salvamento do veleiro "Piloto" que emitiu sinal de SOS no litoral do Sul do país. Contando com o apoio dos meios aéreos de um Grupo-Tarefa capitaneado pelo NAeL Minas Gerais – A 11 que realizava a comissão TEMPEREX III/83, conseguiu levar a missão de salvamento a bom termo, apesar do mal tempo.

Foi-lhe outorgado o titulo de "Navio de Socorro Distrital" do 1º Distrito Naval, relativo ao ano de 1982.

1985

Entre exercícios diversos, realizou o reboque pela popa dos RbAM Tritão - R 21, Tridente - R 22 e Triunfo - R 23, os CT Piauí - D 31 e Maranhão - D 33, os NTrT Soares Dutra - G 22 e Ary Parreiras - G 21, NDCC Duque de Caxias - G 26 e NO Belmonte - G 24.

Em março e abril, rebocou o Navio Museu Bauru, para Salvador-BA e Vitória-ES.

Em 1º de outubro, após 31 dia de faina, desencalhou o N/M "Marina L", de bandeira grega, que se encontrava preso ao Bando de Galheta, nas proximidades do porto de Paranaguá-PR. O mercante, com 185 metros de comprimento, transportava 29.500 toneladas de soja para a Holanda, quando encalhou, no dia 23 de agosto, logo após sair do porto. A operação contou com o auxilio de dois outros mercantes que aliviaram parte da carga do "Marina L".

O RbAM Almirante Guillobel, durante a faina de salvamento do M/V Marina L, em 1985. (foto: SRPM).

Auxilio a retração do NDCC Duque de Caxias - G 26, durante exercício anfíbio.

Apoio ao Navio Mercante "Baldagry Palm".

Suspendeu do porto de Santos-SP, onde realizava escala no intervalo de exercício para resgatar os sobreviventes do Barco de Pesca "Trimar III", nas proximidades da Laje de Santos.

1986

Em 4 de julho, realizou nas proximidades da Ilha do Pai-RJ, em conjunto com o Amazonas - S 16, um exercicio de reboque, com o propósito de obter subsídios para instruções especificas desse tipo de reboque, a serem elaboradas pelo Centro de Adestramento Almirante Marques Leão e pela Força de Submarinos. A faina foi acompanhada por alunos do Curso de Oficial de Salvamento (OF-SALVO), embarcados nos navios.

Foi-lhe outorgado o titulo de "Navio de Socorro Distrital" do 1º Distrito Naval, relativo ao ano de 1985.

1989

Foi-lhe outorgado o titulo de "Navio de Socorro Distrital" do 1º Distrito Naval, relativo ao ano de 1988.

Localizou M/V "Reefer Tiger", de bandeira panamenha, que se achava à deriva a cerca de 190 milhas de Santos, com avaria produzida nas máquinas em decorrencia de uma explosão que causou a morte de um tripulante, acionando o RbAM Tridente - R 22, que realizou o salvamento.

1990

O Rebocador de Alto Mar Almirante Guillobel - R 25, atracado no caís do 1º Distrito Naval, junto ao Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro. (foto: Don S. Montgomery, USN).

1991

Em agosto, participou da Operação ADEREX III/91 junto com as F Defensora - F 41, Liberal - F 43, Independência - F 44 e União - F 45, o S Bahia - S 12 e o NDCC Duque de Caxias - G 26. Visitou o porto de Santos-SP entre os dias 23 e 25.

1992

Em 28 de janeiro, participou do resgate do B/P "Andremar" no litoral de Ilha Bela, a cerca de 30MN da costa na posição 24º35’5”S – 044º55’0” O. Nessa operação teve atuação destacada o N/M "Itaité" do Lloyd Brasileiro, sob o comando do CLC Raimundo Jorge Nascimento. Sem a ajuda do “Itaité” que deu alerta ao SALVAMAR-CENTRO e iniciou o socorro, fatalmente o pesqueiro que estava a matroca teria sido perdido.

Em 1º de fevereiro, chegou a Santos junto com o RbAM Tridente – R 22.

Em 27 de fevereiro, sairam em GT, para comemorar o 7º aniversário de criação do GrupNSE, o RbAM Almirante Guillobel - R 25, Tridente - R 22, Triunfo - R 23 e o NA Trindade - U 16. A bordo do Tridente, ia o Comandante do 1º Distrito Naval, Vice-Almirante Arnaldo Leite Pereira.

Entre 18 e 21 de dezembro esteve em Santos-SP.

1993

Em 28 de janeiro, participou do resgate do B/P "Andremar" no litoral de Ilha Bela, a cerca de 30MN da costa na posição 24º35'5"S – 044º55'0" O. Nessa operação teve atuação destacada o N/M "Itaité" do Lloyd Brasileiro, sob o comando do CLC Raimundo Jorge Nascimento. Sem a ajuda do "Itaité" que deu alerta ao SALVAMAR-CENTRO e iniciou o socorro, fatalmente o pesqueiro que estava a matroca teria sido perdido.

Entre 10 e 13 de maio, participou da Operacão INTERPORTEX, realizada em São Sebastião junto com o CT Sergipe - D 35, S Riachuelo - S 22, RbAM Tridente - R 22 e Triunfo - R 23 e o NA Trindade - U 16, além de fuzileiros navais do Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro e do Batalhão de Operações Especiais Tonelero, Esteve em Santos de 14 a 17 de maio.

Entre 2 e 5 de julho, esteve em Santos.

1994

Conquistou o titulo de "Navio Socorro do Ano", perfazendo o total de 765 pontos. Grande parte dessa pontuação deveu-se a missão de socorro do Navio Mercante "Kamari", de bandeira cipriota, na região do 5º Distrito Naval, Rio Grande. A missão durou de 14 de abril a 11 de junho e foi realizada em conjunto com a Cv Imperial Marinheiro.

1996

Participou da Operação DIPLOMEX. Nessa comissão o navio visitou o porto de Buenos Aires (Argentina).

Entre 30 de agosto e 1º de setembro, esteve em Santos, junto com o CT Paraíba - D 28, as Cv Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33, o S Riachuelo - S 22, o RbAM Tridente - R 22, o NA Trindade - U 16 e o NPa Gurupá - P 46.

1997

Foi-lhe outorgado o titulo de "Navio de Socorro Distrital" do 1º Distrito Naval, relativo ao ano de 1996.

Entre os dias 10 e 14 de novembro, participou da Operação FRATERNO XVII, realizadas na área marítima compreendida entre Angra dos Reis-RJ e Cabo Frio-RJ, prestando apoio e rebocando alvos para as unidades dos Grupos-Tarefa 101.2 (brasileiro), composto pela F Dodsworth – F 47, Cv Inhaúma – V 30, CT Paraíba – D 28 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e argentino (GT-101.1), composto pela F ARA Sarandi – D 13, Cv ARA Guerrico – F 32 e S ARA Salta – S 31.

Em novembro, participou da Operação DRAGÃO XXXII, realizando inclusive transferência de aguada com a Cv Frontin - V 33, e de vários exercícios de reboque, desencalhe, e de várias operações de reboque de alvo em proveito da Esquadra.

1999

No primeiro trimestre realizou o embarque de Aspirantes da Escola Naval como parte do Estagio de Verão de 1999.

2000

Entre 8 e 17 de fevereiro, participou da Operação ADEREX-I/00, realizada na área compreendida entre Rio de Janeiro e Santos, junto com navios do GT 802.1, formado pela 2ª Divisão da Esquadra.

Em dezembro, foi submetido a vistoria de Segurança de Aviação, pelo Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Marinha (SIPAAerM).

2001

Em 22 de janeiro, completou 20 anos de serviço tendo atingido as marcas de 1.320,5 dias de mar e 197.602,4 milhas navegadas. Suas mais recentes comissões de destaque foram a DIPLOMEX/99, Dragão XXXIV e XXXV, reboque de alvo em apoio ao Comando da 1ª Divisão da Esquadra (Com1ªDE) e Comando da 2ª Divisão da Esquadra (Com2ªDE), ANFIBIEX/2000, VARREDEX/2000, UANFEX/2000, Parada Naval dos 500 Anos de Descobrimento do Brasil.

Em fevereiro, iniciou a transferência do DFlu Afonso Pena do AMRJ para Base Naval de Val-de-Cães, rebocando-o até Natal, onde foi feita a transferência do reboque no mar, para o RbAM Alte. Guilhem - R 24 que completou a manobra no trecho Natal - Belém, onde chegou em 21 de fevereiro.

Conquistou o titulo de "Navio Socorro do Ano", e "Navio Socorro Distrital" na área do 1º DN, referente ao ano de 2000, perfazendo o total de 277,1 pontos.

2002

Conquistou o titulo de "Navio Socorro do Ano", e "Navio Socorro Distrital" na área do 1º DN, pelo segundo ano consecutivo, referente ao ano de 2001, perfazendo o total de 210,8 pontos, sendo agraciado com os respectivos diplomas em cerimonia presidida pelo Com1ºDN, VA Carlos Augusto Vasconcelos Saraiva Ribeiro.

2003

Entre 29 de novembro e 7 de dezembro, participou da Operação UANFEX-03 integrando a FT anfíbia junto com o NDD Ceará - G 30 (capitânia), NDCC Mattoso Maia - G 28 e o NTrT Ary Parreiras - G 21. A UANFEX-03, realizada em Itapemirim-ES, constou na retirada do grupo de assalto permanecido em território inimigo durante a Operação INCURSEX-03. A Força-Tarfa Anfíbia foi comandada pelo Comandante da 2ª Divisão da Esquadra e a Força de Desembarque pelo Comandante da Tropa de Desembarque. Os exercícios foram acompanhados pelo ComemCh e pelo CEMA. Além dos navios participaram três He Super Puma e um Esquilo, um destacamento de MEC e do Componente de Combate Terrestre nucleado no BInfFN Payssandú, que contou com o apoio de artilharia, carros lagarta anfíbios, carros de combate, mísseis antiaéreos, engenharia, comunicações, assim como de elementos de apoio logístico, resultando na presença de, aproximadamente, 700 fuzileiros navais na área.

2005

Em dezembro, participou da Operação Combinada LEÃO II, realizada na área entre o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, com unidades do Exercito e da Força Aérea, integrando uma Força-Tarefa composta também pelos NDD Ceará - G 30 e Rio de Janeiro - G 31, NDCC Mattoso Maia - G 28, NTrT Ary Parreiras - G 21, F Independência - F 44 , Defensora - F 41 e Niterói - F 40, NE Brasil - U 27, Cv Jaceguai - V 31 e o NPa Gurupi - P 47, além de duas EDCG e diversas embarcações de desembarque. Participaram ainda uma UAnf do CFN e várias aeronaves da ForAerNav.

2006

Prestou apoio a Operação INCURSEX 06, realizada na região de Itaóca-ES.

O Almirante Guillobel - R 25, durante a Operação INCURSEX 06, realizada no litoral do Espírito Santo. (foto: ALIDE - Felipe Salles).

2009

Esteve em Santos-SP de 24 e 27 de julho.

2010

Em 19 e 20 de fevereiro, participou junto com as F Constituição e Liberal, contando com o apoio dos mercantes “Hokuetsu Delight” e ”Crystal Pioneer” vetorados por uma aeronave da FAB e sob a coordenação do SALVAMAR SUDESTE da operação de busca e resgate dos 64 naufragos do Veleiro “Concordia” que afundou a cerca de 300 milhas do litoral do Rio de Janeiro. O “Concordia”, que pertencia ao Canada West Island College International partiu de Recife no dia 8 de fevereiro e tinha previsão de chegada a Montevideo no dia 23, afundando vitima do mau tempo.

Na manhã de 4 de março, participou junto com as F Niterói - F 40, Constituição - F 42 e Independência - F 44, a Cv Jaceguai - V 31, NHi Antares - H 40, NT Alte. Gastão Motta - G 23 e os S Timbira - S 32, Tapajó - S 33 e Tikuna - S 34, de uma Parada Naval no Rio de Janeiro, por ocasião da despedida do serviço ativo na Marinha do VA Álvaro Luiz Pinto (CEMA) e que contou com a presença do VA Eduardo Monteiro Lopes (ComemCh), ambos a bordo da F Liberal.

No dia 7 de setembro, participou de um Desfile Naval em comemoração a Independência do Brasil, realizado na orla do Rio de Janeiro, com a participação das F Independência - F 44, Constituição - F 42 e Bosísio - F 48, o NT Almirante Gastão Motta - G 23, o NHo Cruzeiro do Sul - H 38, o NOc Antares - H 40, o RbAM Almirante Guillobel - R 25, o NPa Guajará - P 44, o S TupÍ - S 30 e o NVe Cisne Branco - U 20.

2011

O Almirante Guillobel participando da operação de segurança, em frente à Praia do Leme, da 5ª edição dos Jogos Mundiais Militares, realizados no Rio de Janeiro em julho de 2011. (foto: Alexandre Galante – Poder Naval Online – 21/07/11)

2012

Participou da Operação TROPICALEX 2012, realizada entre os dias 23 de julho e 4 de agosto, na área marítima entre o Rio de Janeiro e Salvador, por um Grupo-Tarefa composto pelas F Greenhalgh – F 46, Bosisio – F 48, Niterói – F 40 e Independência – F 44, a Cv Barroso – V 34, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e o S Tamoio – S 31. Também apoiaram a operação aeronaves da ForAerNav, a Cv Caboclo – V 19, o NPa Gravataí – P 51 e os NV Albardão – M 20 e Anhatomirim – M 16, do 2º Distrito Naval, o NPa Guarujá – P 49 do 3º Distrito Naval, além de Lanchas da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro e uma aeronave P-3AM Orion da FAB.

Em 7 de setembro participou do Desfile Naval realizado na Orla do Rio de Janeiro em comemoração aos 190º Aniversário da Independência do Brasil da qual participaram o NVe Cisne Branco – U 20, o NDCC Almirante Sabóia – G 25, as F Niterói – F 40, Independência – F 44, União – F 45 e Bosísio - F 48, a Cv Barroso – V 34, o S Tamoio – S 31, o NHo Cruzeiro do Sul – H 38, os NPa Guaporé – P 45, Gurupi – P 47 e Macaé – P 70, o RbAM Almirante Guillobel – R 25, além da Cv ARA Gomez Roca – P 46, da Armada Argentina, e da F ROU Uruguay – ROU 01, da Armada Uruguaia. Também participaram do desfile aeronaves da Força Aeronaval.

Locais

Rio de Janeiro.

status legal

funções, ocupações e atividades


Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

contexto geral


Área de relacionamento

Área de ponto de acesso

Ocupações

Área de controle

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão e eliminação

13/09/2013 - Nathália Costa - Estagiária.
Sem dados sobre: "Funções, ocupações e atividades" e "Contexto geral"

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Notas de manutenção

  • Área de Transferência

  • Exportar

  • EAC