Fundo NVALBD - Navio-Varredor Albardão

Código de referência

RJDPHDM NVALBD

Título

Navio-Varredor Albardão

Data(s)

  • 21/07/1975 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Suporte papel: A4
Suporte digital: .PDF
Documentos iconográficos: 9 itens

Nome do produtor

(21/07/1975)

História administrativa

O Navio Varredor Albardão - M 20, ordenado em novembro de 1973, é o primeiro navio a ostentar esse nome na Marinha do Brasil. Foi construído no estaleiro Abeking & Rasmussen, em Lemwerder, na ex-Alemanha Ocidental, seguindo o projeto original da classe Schültze (Klasse 340/341) que estava entrando em serviço na Marinha Alemã naquela época. Foi lançado ao mar em setembro de 1974, e submetido a Mostra de Armamento em 21 de julho de 1975.

O NV Albardão - M 20, ainda atracado da Abeking & Rasmussen, em Lemwerder na Alemanha. (foto: Abeking & Rasmussen).

Bandeira de Faina do Albardão. (foto: ?)

1976

Em 8 de janeiro, chegou a Salvador-BA, procedente da Alemanha Ocidental, transportado no convés do navio mercante alemão especializado no transporte de volumes pesados, o M/S "Trüenfels".

Em 25 de fevereiro, foi incorporado à Armada em Aratu junto com o NV Abrolhos - M 19, passando a subordinação do Esquadrão de Minagem e Varredura e do Comando do 2º Distrito Naval.

1977

O Esquadrão de Minagem e Varredura teve sua denominação alterada para Força de Minagem e Varredura.

Em 9 de setembro, com o Presidente da Republica, General Ernesto Geisel, embarcado na F Niterói – F 40, participou da revista naval em sua homenagem, junto com o CT Pará – D 27 e Alagoas – D 36, Cv Purus – V 23 e Caboclo – V 19, NV Aratu – M 15, Anhatomirim – M 16, Atalaia – M 17 e Araçatuba – M 18, e aos NA Javari – U 18 e Juruá – U 19.

Participou da Operação DRAGÃO XIII, realizada na Baía de Cabrália, litoral sul da Bahia, comandada pelo VA Fernando Ernesto Carneiro Ribeiro, ComenCh. Também participaram, os CT Mariz e Barros - D 26, Marcilio Dias - D 25, Espírito Santo - D 38, Maranhão - D 33 e Rio Grande do Norte - D 37, NTrT Ary Parreiras - G 21 e Soares Dutra - G 22, NDCC Duque de Caxias - G 26 e Garcia D'Ávila - G 28, S Amazonas - S 16 e Riachuelo - S 22, NV Abrolhos - M 19, Anhatomirim - M 16 e Aratu - M 15, NO Belmonte - G 24 e Cv Purus - V 23, além dos várias unidades dos fuzileiros navais e aeronavais.

1979

Em 13 de dezembro, participou da Parada Naval em comemoração ao Dia do Marinheiro, que contou com a presença do Exmo. Sr. Presidente da Republica João Baptista de Oliveira Figueiredo, acompanhado pelo Ministro da Marinha, Almirante-de-Esquadra Maximiano Eduardo da Silva Fonseca e demais autoridades embarcados na F Liberal - F 43.

1980

Entre setembro e outubro, participou da 2ª Fase da Operação UNITAS XXI, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Recife. O GT norte-americano, sob o comando do Contra-Almirante (USN) Peter K. Cullins, era composto pelo CT USS Arthur W. Radford - DD 968, USS King - DDG 41, Fragata USS Pharris FF 1094 e pelo SNA USS Snook - SSN 592.

Na primeira quinzena de novembro, participou da Operação DRAGÃO XVI, realizada na praia dos Lençois, em Santa Cruz de Cabralia, no sul da Bahia, sob o comando do VA Paulo de Bonoso Duarte Pinto. A Força Aeronaval foi comandada pelo CA Luiz Fernando da Silva Souza e a Força de Desembarque, com mais de 3.000 homens dos Btl "Riachuelo", "Humaitá" e "Paissandú" e unidades de apoio, pelo CA (FN) Carlos de Albuquerque. Os exercícios foram acompanhados pelo MM, AE Maximiano e pelo Ministro Chefe do EMFA, GEx José Ferraz da Rocha. Também participaram da operação o NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), CT Sergipe - D 35, Alagoas - D 36, Rio Grande do Norte - D 37; NDCC Duque de Caxias - G 26 e Garcia D'Àvila - G 28; NTrT Barroso Pereira - G 16 e Ary Parreiras - G 21; Aratu - M 15, Atalaia - M 17 e Abrolhos - M 19; NT Marajó - G 27, NO Belmonte - G 24 e Cv Caboclo - V 19.

1981

Entre 2 e 20 de agosto, participou da Operação UNITAS XXII, realizada na costa do norte e nordeste do Brasil, integrando o GT 138.2, sob o comando do VA Wilson Mourão dos Santos. O GT 138.2 era composto pelo NAeL Minas Gerais - A 11, F Niterói - F 40, Constituição - F 42 e Independência - F 44, pelos CT Sergipe - D 35, Alagoas - D 36 (capitânia), Rio Grande do Norte - D 37 e Espírito Santo - D 38, pelos S Goiás - S 15 e Riachuelo - S 22, NT Marajó - G 27, NO Belmonte - G 24 e pelo NV Araçatuba - M 18, além de helicópteros do HU-1 e HS-1. Essa UNITAS contou com a participação de unidades da Marinha da Venezuela, além da Norte-Americana. O GT norte-americano era composto pelos CT USS Stump - DD 978 (capitânia), USS Dahlgren - DDG 43, USS Barney - DDG 6, USS Steinaker - DD 862 e USS Vogelsand - DD 863, pelas F USS Koelsch - FF 1049 e USS Capodanno - FF 1093, NT USS Marias - T-AO 57, NDD USS Plymouth Rock - LSD 29, SNA USS Thomas Jefferson - SSN 618 e o Cutter USCGC Steadfast - WMEC 623. O GT venezuelano era composto pela F ARV Alte. Brion - F 22 e pelo S ARV Picuá - S 22.

Participou da Operação APERIPÉ realizada no litoral sergipano com o propósito de defesa das instalações portuárias, terminais e plataformas marítimas naquela região, incluindo desembarque anfíbio, varredura de minas e controle do trafego marítimo. Os navios formaram dois Grupos-Tarefa, um do Grupamento Naval do Leste comandado pelo CMG Alberto Lima do Amaral composto pela Cv Purus - V 23, NV Araçatuba - M 18 e Albardão - M 20 e NA Juruá - U 19 e Javari - U 18; e outro, do Grupamento Naval do Nordeste, comandado pelo CMG Jorge Ponsati da Silva Pereira, com a Corveta Forte de Coimbra - V 18 e os NaPaCo Poti - P 15 e Pirajá - P 11.

Entre 14 e 21 de dezembro de 1981, integrando um GT composto pelos NV Aratu - M 15, Anhatomirim - M 16 e Araçatuba - M 18, realizou na área marítima entre Salvador e Ilhéus a Operação CENTENARIO IV.

1982

Participou de um GT composto também pelos NV Anhatomirim - M 16, Atalaia - M 17, Abrolhos - M 19 e Araçatuba - M 18, na realização de exercícios de varredura na área de Ilhéus-BA.

1985

Em fevereiro e março, participou de exercícios de contraminagem integrando um GT composto pelos NV Aratu - M 15, Anhatomirim - M 16, Araçatuba - M 18 e Abrolhos - M 19. Foi visitado o porto de Recife-PE.

Em 13 de dezembro, participou das comemorações do Dia do Marinheiro em Salvador-BA.

1986

Entre 15 e 26 de fevereiro, constituiu GT com a Cv Caboclo - V 19, os NV Aratu - M 15, Atalaia - M 17, Araçatuba - M 18 e Abrolhos - M 19, participando da Operação NORDESTEX/86. Foram visitados os portos de Natal-RN e Recife-PE.

Entre 23 e 27 de junho, participou da Operação COSTEIREX-LESTE, em ação conjunta das forças navais dos Comandos do 2º e 3º Distritos Navais, realizada no litoral do Estado de Sergipe, que constou de exercícios visando à defesa de instalações do Porto, do Terminal de Carmópolis e plataformas de exploração de petróleo, localizados naquela área. Estiveram envolvidos nesses exercícios a Cv Purus – V 23, os NV Atalaia – M 17 e Aratu – M 15, e duas Companhias do GptFNSa, todos subordinados ao 2º Distrito Naval; e a Cv Forte de Coimbra – V 18, NaPaCo Penedo – P 14, Pirajá - P 11 e Poti – P 15, e uma Companhia do GptFNNa, subordinados ao 3º Distrito Naval e ainda uma Companhia do Batalhão Tonelero e um Grupo de MEC.

Entre 27 de agosto e 2 de setembro, o Albardão, acompanhado pelos NV Aratu - M 15 e Araçatuba - M 18, participou da Operação MACEIEX II/86 desenvolvida na área entre Salvador-BA e Maceió-AL, onde realizaram exercícios de minagem e varredura, além de fainas marinheiras.

Em setembro, participou junto com o NV Atalaia - M 17, e outros navios da Esquadra, da Operação GDBEX II.

1988

Entre 25 e 31 de maio, em GT com os NV Anhatomirim – M 16 e Araçatuba – M 18, participou da Operação ADEVAREX I/88, realizada entre Salvador e Maceió.

1992

Operou em GT, na área de Salvador, com o NV Atalaia - M 17 e o NA Gastão Moutinho - U 20, com o propósito de verificar as possibilidades de emprego do Gastão Moutinho como navio de apoio às operações de Contramedidas de Minas. Foram realizadas transferências de água doce, fundeado e em movimento, exercício de tiro, manobras táticas e exercícios táticos.

1994

Em agosto realizou comissão no litoral sul e sudeste com os NV Aratu - M 15 e Atalaia - M 17. O Aratu e o Atalaia visitaram o porto de Santos-SP entre os dias 26 e 29.

1997

Entre 23 de junho e 3 de julho, participou da Operação Anfíbia UANFEX-97, realizada na região de Itaóca-ES. A Força-Tarefa Anfíbia, foi comandada pelo Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, embarcado no NDD Rio de Janeiro - G 31 e também era formada pelos NDCC Mattoso Maia - G 28 e Duque de Caxias - G 26, pelo CT Mariz e Barros - D 26, RbAM Tridente - R 22, e os NV Anhatomirim - M 16 e Abrolhos - M 19.

1998

Entre 13 de abril e 8 de maio, participou da Operação ÁGUAS CLARAS III, realizada com unidades da Marinha do Uruguai na área marítima entre a Bahia e Alagoas. Além do Albardão, participaram pela MB os NV Abrolhos - M 19 e Araçatuba - M 18, e pela Marinha do Uruguai os NV ROU Temerário – ROU 31 e ROU Fortuna – ROU 33.

Entre 9 de novembro a 16 de dezembro, participou das Operações ADEFASEX I, NORDESTEX e DRAGÃO XXXIII, integrando um GT composto também pelos NV Aratu - M 15, Atalaia - M 17 e Abrolhos - M 19. No transcorrer das Operações ADEFASEX e NORDESTEX foram visitados os portos de Aracajú-SE, Ilhéus-BA, Maceió-AL, Recife-PE, e fundeio no Arquipélago de Abrolhos-BA. A Operação DRAGÃO XXXIII, foi realizada na costa do Espírito Santo, sendo visitados os portos de Vitória e Rio de Janeiro.

2006

Participou da Operação TROPICALEX-I/06, realizada no período de 1º de maio a 1º de junho ao longo do litoral das regiões Nordeste e Sudeste, integrando o Grupo-Tarefa 705.1 composto pelas F Bosisio - F 48, Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, Niterói - F 40 e Independência - F 44; Cv Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33; CT Pará - D 27; NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23; NDD Rio de Janeiro - G 31; NDCC Mattoso Maia - G 28 e os S Tamoio - S 31 e Tapajó - S 33. A operação contou com o apoio do NSS Felinto Perry - K 11 e com a participação dos seguintes navios distritais, além do Albardão: RbAM Tridente - R 22 e NPa Gurupi - P 47 do 1º DN; Cv Caboclo - V 19, NPa Guaratuba - P 50 e Gravataí - P 51 e NV Atalaia - M 17, Araçatuba - M 18 e Abrolhos - M 19, do 2º DN e o RbAM Trindade - R 26 e os NPa Grajaú - P 40, Goiana - P 43 e Graúna - P 42 do 3º DN. Também participaram aeronaves da ForAerNav e da FAB.

2008

Entre 18 e 23 de janeiro, esteve em Salvador-BA, onde participou das comemorações dos 200 Anos da Chegada da Família Real ao Brasil, inclusive participando da Parada Naval em Salvador, no dia 22, junto com as F Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, Niterói - F 40, Defensora - F 41 e Liberal - F 43, NT Almirante Gastão Motta - G 23, NV Cisne Branco - U 20, RbAM Triunfo - R 23, NPa Gravataí - P 51 e os Aratu - M 15 e Anhatomirim - M 16. O evento contou com a participação do Governador do Estado da Bahia, Jaques Wagner, do Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Aurélio Ribeiro da Silva Filho e do Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante Fernando Eduardo Studart Wiemer, entre outras autoridades civis e militares.

Em 18 de abril, chegou a Santos, junto com o Aratu - M 15. Depois os navios dirigiram-se ao sul para participar do Exercício ÁGUAS CLARAS IV Claras com unidades da Armada do Uruguai.

NV Albardão - M 20, entrando em Santos em 18 de abril de 2008. (foto: Silvio Smera) O NV Albardão - M 20, entrando em Santos em 18 de abril de 2008. (foto: Silvio Smera)

Em 20 de abril, estando atracado em Itajaí-SC, junto com o Aratu - M 15, foi acionado pelo SALVAMAR-Sul para iniciar as buscas a um homem desaparecido a cerca de 20 km da costa, na região de São Francisco do Sul, que estava tentando realizar a travessia Paranaguá-PR - Dourados-MS, em um experimento suspenso por balões de gás hélio. Também foram acionados para as buscas o RbAM Tritão - R 21, vindo de Rio Grande e o NHo Taurus - H 36, que estava realizando levantamento hidrográfico em Paranaguá.

Em 24 de maio, mais uma vez acomapnhado pelo Aratu, voltou a escalar em Santos depois de realizar comissão ao sul do país.

O NV Albardão - M 20, entrando em Santos em 24 de maio de 2008, retornando de uma comissão ao sul do pais. (foto: NGB - Guilherme Secatto) O NV Albardão - M 20, entrando em Santos em 24 de maio de 2008, retornando de uma comissão ao sul do pais. (foto: NGB - Guilherme Secatto) O NV Albardão - M 20 atracado a contrabordo do Aratu - M 15, no cais da Capitania dos Portos do Estado de São Paulo, em Santos, em 25 de maio de 2008, numa escala durante o retorno a Aratu depois de realizarem comissão no sul. (foto: NGB - Guilherme Secatto) Diretora ótica para o controle do canhão Bofors de 40 mm instalado na proa. (foto: NGB - Fernando "Nunão" de Martini)

2010

Em janeiro junto com os NPa Guaratuba – P 50 e Gravataí – P 51 e o NV Abrolhos – M 19, prestou apoio e operou com o GT sob o comando do CA César Sidonio Daiha Moreira de Souza que realizava a Operação ASPIRANTEX-10, na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro-RJ e Natal-RN, entre os dias 12 e 30 de janeiro, quando estava na região do 2º DN. O GT era formado pelas F Niterói – F 40, Constituição – F 42 e Independência – F 44, pelo NDCC Almirante Sabóia – G 25, pelo NT Almirante Gastão Motta – G 23 e pelos S. Tupi – S 30 e Tikuna – S 34 e nesses navios seguiam embarcados 116 Aspirantes da Escola Naval e 199 alunos e alunas da Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante, do Centro de Instrução Almirante Graça Aranha, os quais tiveram seu primeiro contato com o mar a bordo dos navios da Esquadra.

2011

Em 26 de setembro suspendeu da Base Naval de Aratu junto com o NV Anhatomirim - M 16, para a realização de Operações de Contramedidas de Minagem e mapeamento do fundo oceânico com o Sistema Sonar Sidescan, em portos localizados no litoral nordeste do País, começando pelo porto de Suape, em Pernambuco.

2012

Em 20 de março realizou exercícios com o NV Araçatuba no interior da Baia de Todos os Santos, que entre diversas fainas, constou de exercícios de Homem ao Mar, Guiagem de Navios em Canal Varrido e Leap Frog. A saída contou com a participação de alunos do Curso de Formação de Oficiais RM-2 (temporários), do Comando do 2º DN.

Alunos do Curso de Formação de Oficiais da Reserva do Comando do 2º DN com tripulantes do Albardão, junto ao navio. (foto: CCSM)

Participou da Operação TROPICALEX 2012, realizada entre os dias 23 de julho e 4 de agosto, na área marítima entre o Rio de Janeiro e Salvador, por um Grupo-Tarefa composto pelas F Greenhalgh – F 46, Bosisio – F 48, Niterói – F 40 e Independência – F 44, a Cv Barroso – V 34, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e o S Tamoio – S 31. Também apoiaram a operação aeronaves da ForAerNav, a Cv Caboclo – V 19, o NPa Gravataí – P 51 e o NV Anhatomirim – M 16, do 2º Distrito Naval, o NPa Guarujá – P 49 do 3º Distrito Naval, RbAM Almirante Guillobel – R 25 do 1º Distrito Naval, além de Lanchas da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro e uma aeronave P-3AM Orion da FAB.

Entre os dias 24 de setembro e 2 de outubro, o Grupo-Tarefa 235.1, composto pelos Navios-Varredores Anhatomirim – M 16, Araçatuba – M 18 e Albardão – M 20, realizou Exercício de Contramedidas de Minagem no litoral de Alagoas. O Grupo-Tarefa, comandado pelo Capitão-Tenente Sandir Antônio de Freitas D’Almeida, foi acionado ainda no mar, de forma inesperada, quando regressava de uma comissão de adestramento no litoral sul da Bahia, dando inicio, assim, a Operação ATOBÁ. Os navios chegaram à área de operação nas primeiras horas da manhã, de 26 de setembro e em menos de seis horas, estabeleceram um canal varrido de duas milhas náuticas, no acesso ao Porto de Maceió e Terminal da BRASKEM, de acordo com a porcentagem de limpeza requerida pelas instruções do Comando de Operações Navais (ComOpNav).

Entidade custodiadora

Procedência

Navio-Varredor Albardão.

Âmbito e conteúdo

Documentos relacionados ao Navio-Varredor Albardão

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Condições de acesso

Livre

Condiçoes de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

25/10/2013

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados