Fundo NPAJAU - Navio-Patrulha Grajaú

Código de referência

RJDPHDM NPAJAU

Título

Navio-Patrulha Grajaú

Data(s)

  • 01/12/1993 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Suporte papel: A4
Suporte digital: .PDF

Nome do produtor

(01/12/1993)

História administrativa

O Navio Patrulha Grajaú - P 40, foi ordenado em setembro de 1990 como parte do 2º lote de duas unidades da classe. Originalmente seria o P 42, mas com o atraso da construção do 1º lote no Estaleiro Mauá, a ordem foi invertida. O Grajaú é o segundo navio a ostentar esse nome na Marinha do Brasil, em homenagem a um riacho homônimo do antigo Distrito Federal. Foi construído pelo AMRJ - Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, seguindo o projeto original do estaleiro Vosper-QAF Ltd, de Singapura. Foi batizado e lançado ao mar na carreira 2, em 21 de maio de 1993, em cerimônia presidida pelo Ministro da Marinha, Almirante-de-Esquadra Ivân da Silveira Serpa, tendo como madrinha a Sra. Maria Letícia Gondim Figueiredo, viúva do Almirante Sylvio de Magalhães Figueiredo, primeiro Imediato do CS Grajaú. Foi incorporado em 1º de dezembro de 1993.
Os NPa classe Grajaú tinham a previsão de receber a diretora Radamec 1000N, mas esse projeto foi temporariamente suspenso.
1994

Ainda na área do Rio de Janeiro, realizou as provas de mar e a avaliação operacional a cargo do CASNAV - Centro de Analise de Sistemas Navais.

Em 30 de março teve a sua subordinação passada da DGMM para o Comando de Operações Navais.

Na manhã de 20 de julho, chegou a Base Almirante Ary Parreiras, em Natal, que passou a ser sua sede. No mesmo dia, teve a sua subordinação transferida para o Comando do 3º Distrito Naval e foi realizada a cerimônia de incorporação ao Comando do Grupamento Naval do Nordeste (GrupNNE), presidida pelo comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra José Julio Pedrosa, contando, também, com a presença do Comandante do 3º Distrito Naval, Vice-Almirante Luiz Eugenio de Albuquerque Lobo. O Grupamento Naval do Nordeste (GrupNNE), tinha como área de atuação o litoral dos Estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará, e operava a partir de Natal-RN.

Participou das Operação COSTEIREX LESTE/94, da comissão PATCOS ATLÂNTICO e comissões de acompanhamento.

Em 1º de dezembro, completou um ano no serviço ativo, tendo até essa data atingido a marca de 11.966 milhas náuticas navegadas.

1996

Em 1º de dezembro, completou 3 anos de incorporação à Armada, tendo atingido a marca de 237 dias de mar.

1997

Em 7 de junho, ao pôr-do-sol, em Natal, como parte das Comemorações dos 132º Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, os NPa Grajaú, Guaíba e Goiana, realizaram demonstração de exercício de tiro antiaéreo com seus canhões automáticos utilizando munição traçante sobre foguete iluminativo.

Entre 12 de junho e 11 de julho, participou das Operações CARIBE II/III-98, junto com unidades do 4º Distrito Naval. Durante essa comissão o Grajaú, cruzou pela primeira vez a linha do Equador, realizando fundeio na foz do rio Oiapoque, na divisa setentrional do Brasil. Nessa que foi sua primeira viagem ao exterior, o Grajaú realizou demonstrações para os militares surinameses, que externaram sua boa impressão quanto ao navio. Foram visitados os portos de Paramaribo (Suriname) e Georgetown (Guiana).

2001

Em abril, esteve no Rio de Janeiro para participar da Feira Internacional de Defesa - LAD 2001, realizando um saída para demonstração ao Vice-Ministro da Defesa e ao Comandante da Ala Naval da Namíbia.

Em 1º de dezembro, completou 8 anos de serviço.

2002

Entre 18 e 22 de março, participou da Operação DEPORTEX-NE 02, realizada no porto de Macuripe, em Fortaleza-CE. Também participaram desse exercício os NPa Graúna e Goiana, o RAM Trindade, uma companhia do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal-RN, um helicóptero UH-12 Esquilo da Marinha, seção de Mergulhadores de Combate (MEC's) e uma aeronave P-95 Bandeirulha do 3º Esquadrão do 7º Grupo de Aviação da FAB, sediado em Belém-PA.

2004

No dia 20 de outubro, por volta das 09:32h uma aeronave de patrulha P-95 Bandeirulha do 2º/7º GAv de Florianópolis, localizou em alto-mar a cerca de 350 km de de Natal-RN e 130 km de Fernando de Noronha, o B/P "Southern Star", de bandeira taiwanesa, que se encontrava realizando pesca ilegal de atum em nossas águas jurisdicionais. Como a embarcação não respondeu as chamadas de radio e alterou o rumo demonstrando intenção de deixar a nossa ZEE, a aeronave acionou o NPa Grajaú que se encontrava a cerca de 30 milhas do local. Ao chegar no local, o Grajaú só conseguiu fazer com que o intruso parasse depois de um tiro de canhão como advertência. Nesse momento a operação estava sendo acompanhada por outro P-95, agora do 1º/7º GAv de Salvador. Foi mandada uma equipe de abordagem e inspeção a bordo do B/P, onde foi constatado que a mesma não possuía autorização para pescar em nossas águas, além de se encontrar em péssimo estado de higiene. O navio teve como última escala Port of Spain (Trinidad e Tabago) e tinha uma tripulação de origem chinesa de 29 homens, muitos aparentando serem menores de idade. No dia 21, o B/P "Southern Star", chegou a Natal onde foi entregue as autoridades para serem tomadas as providencias cabíveis.

2006

Em 20 de fevereiro, foi submetido a VSA pela SIPAA-ForSup (Seção de Investigação de Prevenção de Acidentes do Comando da Força de Superfície).

Participou da Operação TROPICALEX-I/06, realizada no período de 1º de maio a 1º de junho ao longo do litoral das regiões Nordeste e Sudeste, integrando o Grupo-Tarefa 705.1 composto pelas F Bosisio - F 48, Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, Niterói - F 40 e Independência - F 44; Cv Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33; CT Pará - D 27; NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23; NDD Rio de Janeiro - G 31; NDCC Mattoso Maia - G 28 e os S Tamoio - S 31 e Tapajó - S 33. A operação contou com o apoio do NSS Felinto Perry - K 11 e com a participação dos seguintes navios distritais, além do Grajaú: RbAM Tridente - R 22 e NPa Gurupi - P 47 do 1º DN; Cv Caboclo - V 19, NPa Guaratuba - P 50 e Gravataí - P 51 e NV Atalaia - M 17, Araçatuba - M 18, Abrolhos - M 19 e Albardão - M 20, do 2º DN e o RbAM Trindade - R 26 e os NPa Goiana - P 43 e Graúna - P 42 do 3º DN. Também participaram aeronaves da ForAerNav e da FAB.

2007

Em 11 de junho, data alusiva ao 142º Aniversario da Batalha Naval do Riachuelo, realizou ação de presença em Cabedelo-PB.

2008

A partir de 15 de abril, participou da Operação CARIBEX 2008, junto com os NPa Guarujá - P 49 e Bocaina - P 62 (capitânia), subordinados ao Comando do 4º Distrito Naval, e o NPa Guaíba - P 41, assim como o Grajaú, subordinado ao Comando do 3º Distrito Naval. Os navios realizaram diversos exercícios nas águas jurisdicionais brasileiras e de outros países, e visitaram os portos de Itaqui-MA, Belém-PA, Caiena (Guiana Francesa), Fort-de-France (Martinica), San Juan (Porto Rico) e Bridgetown (Barbados), em 4 de maio. Os navios foram tripulados por 28 oficiais e 131 praças.

Em junho participou, junto com a Cv Inhaúma - V 30 e o NPa Guaíba - P 41, da reativação da Estação Científica do Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP), depois de realizadas reformas para aumentar a segurança e o conforto.

2009

Em 1º de junho, suspendeu de Natal-RN às 09:30h, para participar das buscas aos destroços do vôo AF 447 da Air France, desaparecido no Atlântico Sul, na noite de 31 de maio a cerca de 450 milhas a noroeste de Natal-RN. Chegou a área da queda por volta das 10:00h do dia 3 de junho e iniciou busca em rumos paralelos, no sentido Noroeste, em uma área circular com raio de 120 milhas náuticas, centrada na posição onde foi avistada, pela aeronave da Força Aérea Brasileira, no dia 2, uma esteira de 5 km de destroços.
2011

Entre ? de abril e 11 de maio participou da Operação CARIBEX-2011 integrando o Grupo de Adestramento CARIBE formado pelo RbAM Triunfo e o NPa Grajaú do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste e pelos NPa Bracuí e Guanabara do Grupamento de Patrulha Naval do Norte.

A primeira atividade da Comissão foi a execução de exercícios Navio-Patrulha francês La Capricieuse – P 684. Os navios fizeram visitas a diversos portos da costa das Américas Sul e Central. De 14 a 16 de abril, eles estiveram no porto de Georgetown, na Guiana, onde receberam as visitas do Chefe de Estado-Maior das Forças de Defesa da Guiana, Comodoro Gary Anthony Rodwell Best, e do Comandante da Guarda Costeira, Coronel Jullian Brewster Lovell, além de 233 alunos da rede escolar da cidade. Ainda nesse porto, dois militares da Guarda Costeira embarcaram no Rebocador de Alto-Mar Triunfo, com o propósito de participar da comissão até Paramaribo, no Suriname.

De 21 a 25 de abril, os navios atracaram no porto de San Juan, em Porto Rico. Durante a estadia na cidade, os militares dos navios brasileiros visitaram a base da Guarda Costeira dos Estados Unidos, no intuito de ampliarem os conhecimentos sobre as tarefas executadas por aquela Força, já que suas atividades se assemelham às desempenhadas pelos navios distritais da Marinha do Brasil.

Na noite de 26 de abril, quando atracaram no porto de St. John’s, os navios participantes da Comissão se tornaram as primeiras embarcações da Marinha do Brasil a visitarem a nação caribenha de Antígua e Barbuda. Os navios foram recebidos pelo embaixador brasileiro no País, Brian Michael Fraser Neele, que promoveu diversos eventos para a tripulação. Em retribuição à acolhida, o Rebocador de Alto-Mar Triunfo ofereceu um almoço às autoridades militares antiguanas e o Navio-Patrulha Grajaú recebeu a visita do Primeiro-Ministro de Antígua e Barbuda, Sr. Baldwin Spencer.

Foram ainda visitados os portos de Fort-de-France, em Martinica, e Paramaribo, no Suriname.

Em outubro prestou apoio a Operação TROPICALEX-2011, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Natal, pela Força-Tarefa 710.1, sob o comando do ComemCh, VA Wilson Barbosa Guerra. A FT-710.1 foi formada pelas F Niterói – F 40 (capitânia), União – F 45, Greenhalgh – F 46 e Bosisio – F 48, a Cv Barroso – V 34 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23, além de 2 aeronaves UH-12/13 Esquilo e 3 aeronaves AH-11A Super Lynx, distribuídas pelos navios. Também atuaram em apoio aos exercícios os S Tikuna – S 34 e Tamoio – S 31, o NSS Felinto Perry - K 11, a Cv Caboclo – V 19, na área do 2º DN, o NPa Gurupá – P 46, na área do 1º DN, além de uma aeronave P-95 Bandeirante Patrulha e dois caças-bombardeiros A-1 da FAB.

2012

Em Pernambuco, de 23 a 30 de janeiro, a serviço da Capitania dos Portos de Pernambuco (CPPE), realizou Inspeção Naval nas proximidades dos Portos de Recife e Suape e na Ilha de Itamaracá. Na comissão, oito Aspirantes cumpriram o Estágio de Verão e puderam se familiarizar com as atividades e a rotina do navio.

Entre os dias 23 e 29 de fevereiro foi empregado na Operação VERÃO, em benefício da Capitania dos Portos da Paraíba (CPPB). O navio realizou Inspeção Naval nas proximidades do Porto de Cabedelo, inspecionando 14 embarcações.
No dia 10 de março, atracado no Estaleiro INACE, em Fortaleza-CE, recebeu a visita do Ministro da Defesa Nacional da República de Cabo Verde, Jorge Homero Tolentino Araújo, acompanhado do Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto; do Comandante do 3º Distrito Naval, Vice-Almirante Airton Teixeira Pinho Filho; do Diretor de Engenharia Naval, Contra-Almirante (EN) Francisco Roberto Portella Deiana; e do Comandante do Centro de Instrução Almirante Alexandrino, Contra-Almirante José Carlos Mathias.
Participou da Operação ADESTREX-NE/II conduzida pelo Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste e pelo Comando do 3º Distrito Naval na área marítima entre Natal-RN e Cabedelo-PB, entre os dia 10 e 16 de abril. O Grupo-Tarefa, formado pelo RbAM Triunfo - R 23 e pelos NPa Grajaú - P 40, Guaíba - P 41, Graúna - P 42 e Goiana - P 43, realizou exercícios relacionados diretamente às tarefas atribuídas às forças navais distritais, tais como: suspender em postos de combate sob ameaças assimétricas; transferência de óleo no mar; tiro de superfície; reboque; avarias operacionais; navegação em baixa visibilidade e em canal varrido; fundeio de precisão e manobras táticas.

Realizou, ainda, junto com o NPa Guaíba, ações de Inspeção Naval em proveito da Capitania dos Portos da Paraíba, que resultou em cinco embarcações notificadas.

Entre 15 e 18 de junho, esteve no porto de Fortaleza (Mucuripe) durante comissão de PATNAV pelo litoral do Ceará.

Participou entre os dias 20 e 23 novembro da Operação ADESTREX NE-IV, realizada na área marítima entre o Rio Grande do Norte e Ceará, pelo Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste, integrando um Grupo-Tarefa junto com o RbAM Triunfo – R 23 e os NPa Guaíba – P 41 e Goiana – P 43.

Entidade custodiadora

Procedência

Navio-Patrulha Grajau.

Âmbito e conteúdo

Documentos relacionados ao Navio-Patrulha Grajau.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Condições de acesso

Livre acesso.

Condiçoes de reprodução

Sem restrição de reprodução.

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

23/10/2013

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados