Fundo NHISIR - Navio Hidrográfico Sirius

Código de referência

RJDPHDM NHISIR

Título

Navio Hidrográfico Sirius

Data(s)

  • 17/01/1958 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Suporte papel: A4
Suporte digital: .PDF

Nome do produtor

(17/01/1958)

História administrativa

O Navio Hidrográfico Sirius - H 21, é o primeiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome, uma referência à estrela alfa da constelação de Cão Maior, a mais brilhante do firmamento. Foi encomendado em 27 de abril de 1956, assim como o seu irmão de classe o NHi Canopus - H 22, ao estaleiro Ishikawajima Harima Heavy Industries, em Tóquio, Japão. Teve sua quilha batida em 13 de dezembro de 1956, foi batizado e lançado ao mar em 30 de julho de 1957, sendo sua madrinha a Sra. Toshiwo Doko, esposa do presidente da IHI. Foi entregue em 13 de dezembro de 1957 e incorporado e submetido a Mostra de Armamento em 17 de janeiro de 1958, em cerimônia realizada em Tóquio. Naquela ocasião, assumiu o comando o Capitão-de-Fragata Hélio Ramos de Azevedo Leite.
1958

Em 08 de fevereiro, suspendeu de Tóquio rumo ao Brasil, via Canal do Panamá.

Em 12 de maio, durante a viagem para o Rio de Janeiro, passou a subordinação da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), pelo Aviso 1088 de 08/05/1958 (Bol 22/1958 MM).

Em 19 de maio, chegou ao Rio de Janeiro.

Em 18 de setembro, sob Comando do CF Maximiano Eduardo da Silva Fonseca, iniciou sua primeira comissão, fazendo levantamentos hidrográficos na foz do rio Amazonas. Nessa comissão empregou pela primeira vez o helicóptero como ferramenta de auxilio aos trabalhos, sendo O Sirius foi o primeiro navio da MB a operar aeronaves.

1960

Em novembro e dezembro, realizou levantamento hidrográfico no litoral norte e nordeste com destaque especial para o levantamento no canal norte da foz do Rio Amazonas.

1962

Em 03 de fevereiro, iniciou a verificação do extremo leste insular do Brasil nas ilhas de Trindade e Martin Vaz.

Em 13 de maio, foi efetuada a observação de coordenadas astronômicas do antigo farol dos penedos de São Pedro e São Paulo.

1963

Realizou comissão hidrográfica no Rio Pará, junto com o NHi Orion - H 32.

1967

Em 27 de abril, chegou ao Principado de Mônaco para participar da IX Convenção Hidrográfica Internacional.

Em junho, iniciou o levantamento da Zona Franca de Manaus, criada por Decreto de 1967. Esse levantamento compreendia um trecho do Rio Negro de 50 km à montante de Manaus e outro, de 70km, à jusante desse mesmo porto, pelo Rio Amazonas, sentido de Macapá-AP.

1968

Entre julho e agosto, durante o levantamento regular da costa do Maranhão, em conjunto com o NHi Canopus – H 22, foi realizado o levantamento do recife Manuel Luís.

1969

Em 27 de junho, foi concluído o Levantamento Hidrográfico do trecho da costa Norte, compreendido entre a ilha do Machadinho e o cabo Gurupi (carta náutica n.º 300).

1970

Em 17 de março, suspendeu junto com o NHi Canopus do Porto do Rio de Janeiro com a missão de dar início do Levantamento Global da carta n.º 200.

Em 15 de junho investe o canal da Barra Sul do Rio Amazonas, sendo essa a primeira vez, de que se tem noticia, que um navio de grande porte faz essa travessia.

Em 19 de agosto, a DHN recebeu o novo equipamento Raydist, tipo DR-S, para ser instalado no Sirius.

1974

Em 03 e 04 de outubro, em companhia do NOc Almirante Saldanha concluiu a participação brasileira na Operação GATE (Experimento do Atlântico Tropical) para o GARP (Programa Global de Pesquisa Atmosférica), do qual participaram trinta e oito navios de diferentes países.

1979

Em 13 de dezembro, participou da Parada Naval em comemoração ao Dia do Marinheiro, que contou com a presença do Exmo. Sr. Presidente da Republica João Baptista de Oliveira Figueiredo, acompanhado pelo Ministro da Marinha, Almirante-de-Esquadra Maximiano Eduardo da Silva Fonseca e demais autoridades embarcados na F Liberal - F 43.

1983

Em setembro, iniciou um PAM - Período de Atualização e Modernização, realizado no AMRJ. Essa modernização estava prevista para ser concluída em agosto de 1985.

1986

Encerrou Período de Atualização e Modernização no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ), recebendo um novo sistema de propulsão e geração de energia, além de novos equipamentos para serviços hidrográficos, incluindo um sistema automatizado de coleta de dados hidrográficos.

1987

Em 21 de fevereiro, realizou a primeira experiência hidrográfica utilizando como sistema de posicionamento o receptor Magnavox 1107 - Transit/Global Position System (GPS), nas proximidades do cabo de São Tomé-RJ, aonde se posicionou pelo sistema GPS no período de 13:25:00 às 18:01:59 GMT.

Partiu do Rio de Janeiro em 14 de outubro, reiniciando o levantamento hidrográfico de atualização da área compreendida entre o Cabo de São Tomé e a Barra da Baia da Guanabara, realizando trabalhos topográficos e hidrográficos para construção de novas cartas com vistas a segurança da navegação e apoio às Operações Navais nessa área.

Concluiu o levantamento hidrográfico da Bacia de Campos e realizou levantamento das Praia de Itaóca-ES, onde são normalmente realizados os exercícios anfíbios da serie DRAGÃO.

1988

Em 17 de janeiro, completou 30 anos de incorporação ao Serviço da Armada.

1989

Entre agosto e novembro, executou na Barra Norte do Rio Amazonas o primeiro Levantamento Hidrográfico, utilizando pela primeira vez na MB o posicionamento pelo sistema GPS, também realizou a batimetria da região.
1990

Realizou comissão de levantamento ao largo do Cabo de Calcanhar-RN. Durante essa comissão embarcou alguns MN-RC da Turma I/90 da Escola de Formação de Reservistas Navais da Base Almirante Ary Parreiras, para período de adaptação ao mar.

1991

Em abril, foram adquiridos pelo DHN sistemas automáticos de aquisição de dados, para otimização dos equipamentos dos NHi Sirius - H 21, Orion - H 32 e Taurus - H 33.

Entre julho e setembro, realizou a primeira etapa do levantamento hidroceanográfico da rota regular Vitória-Abrolhos. Esta fase do levantamento compreendeu um longo trecho de cinco milhas de largura, entre a cidade de Vitória e a foz do Rio Doce, ao norte do Estado do Espírito Santo. O navio sonografou a área, coletou amostras e mediu perfis de temperatura, salinidade e velocidade do som. Essa foi a primeira vez que um navio da classe Sirius executou tarefas atinentes a diversos campos de atividades da DHN, no que tange à coleta de dados, tendo operado com um autêntico Navio-Hidroceanográfico, em apoio às operações navais e à segurança da navegação.

No dia da Aviação Naval, em cerimônia realizada na BAeNSPA, foi agraciado com o premio de "Distinção de Segurança de Aviação" de 1991.

Em novembro, completou 2.500 dias de mar e mais de 500.000 milhas navegadas.

1992

Completou o Levantamento Hidroceanográfico da Rota Regular entre o Arquipélago de Abrolhos-BA e a foz do Rio Doce-ES, dando continuidade à batimetria e a varredura sonar do trecho Vitória-Abrolhos, iniciado em 1991. Nessa oportunidade, foram utilizados, com sucesso, o novo sistema automático de coleta e pós-processamento de dados RACAL S-900, que permitiu o armazenamento de dados inteiramente em meio magnético e os sistemas de posicionamento eletrônico HYPERFIX e por GPS, que melhoraram substancialmente a precisão das posições obtidas. Durante essa comissão foram embarcados estudantes universitários das Faculdades de Oceanografia e Ciências Biológicas, respectivamente, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Universidade Santa Úrsula.

1994

Dentro do Programa LEPLAC, realizou o levantamento da área marítima compreendida entre os estados do ceará e Alagoas e da área marítima abrangida pela cadeia vitória-Ilha da trindade. foram feitos 58 dias de mar e navegadas 13.926,5 milhas náuticas.
1996

Em 30 de outubro, suspendeu do Rio de Janeiro, para efetuar levantamento hidrográfico, com atualização das cartas náuticas e de roteiro, na Barra Sul da foz do Rio Amazonas.

1997

Entre 24 de março e 05 de julho, realizou sob solicitação do Governo da Namíbia, o levantamento da aproximação do Porto de Walvis Bay. Baseado nos dados coletados pelo NHi Sirius, a DHN publicou a primeira edição da carta náutica n.º 3931 - "Proximidades do porto de Walvis Bay"., sendo a primeira carta náutica produzida pelo DHN para outro país.

No final de setembro, recebeu a visita do Chefe do Serviço Hidrográfico Argentino, Capitan de Navio (CMG ARA) José Luís Sciotti.

1998

Até Março, havia navegado atingido a marca de mais de 500.000 milhas navegadas e 3000 dias de mar.

1999

No primeiro trimestre realizou o embarque de Aspirantes da Escola Naval como parte do Estagio de Verão de 1999.

2000

Em fevereiro, foi submetido a vistoria de Segurança de Aviação, pelo Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Marinha (SIPAAerM).

2001

Em fevereiro, foi submetido a vistoria de Segurança de Aviação, pelo SIPAAerM.

Em 03 de setembro, atracou no Porto de Pecém-CE tornando-se o primeiro navio da MB a atracar nesse complexo portuário.

Em 08 de outubro, concluiu o Levantamento Hidrográfico dos portos de Pecém e Macuripe, no Ceará, visando a atualização das cartas náuticas 701 – Porto de Macuripe e 710 – Proximidades do Porto de Macuripe e também para representação do Porto de Pecém na carta 710, sendo utilizados nessa comissão os sistemas de coleta de dados automatizados Hydro e Racal 960, integrados ao sistema de posicionamento DGPS.

Entre 09 e 19 de outubro, participou em cooperação com o IBAMA, do "Projeto de Avistagens de Grandes Cetáceos no Litoral do Brasil", numa faixa de 120 milhas ao largo do litoral dos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas, sendo registradas 77 avistagens.

2002

No dia 24 de abril, realizou experiência de máquinas e em maio finalizou o PMG. Entre os dias 06 e 17 de maio, o Navio realizou o Ciclo de Alinhamento e Compensação (CICLOPE), a Vistoria de Segurança de Aviação (VSA) e os exercícios no mar concernentes ao Programa de Adestramento para Mudança de Fase (PAD-CIAsA).

Entre 22 de maio e 15 de junho, o Navio esteve presente nos portos de Montevidéu (Uruguai) e Buenos Aires (Argentina), realizando a comissão PRATA-2002.

Entre os dias 25 de junho e 10 de julho, o Navio participou do abastecimento do Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade, quando foi acionado para uma missão SAR de "homem ao mar". Nenhum vestígio do náufrago foi encontrado.

Entre os dias 25 de julho e 05 de setembro, o Navio realizou coleta de dados em apoio ao
II Plano Cartográfico Náutico Brasileiro, na região situada entre Santos e Imbituba, visando a construção das cartas 23200 e 23300 (INT 2125 e 2126), manutenção de sinais náuticos do litoral sul brasileiro e apoiou os guardas-marinha, alunos do Curso de Formação de Oficiais do CIAW, e marinheiros QS, alunos do Curso de Especialização de Hidrografia e Navegação com adestramentos sobre a rotina de navegação. Durante a comissão o navio participou das comemorações alusivas ao aniversário de 193 anos de fundação da cidade de Ilha Bela com desfile cívico-militar. Participaram da comissão o Comandante do 8º Distrito Naval e membros da SOAMAR-SP.

Entre os dias 08 de outubro e 13 de dezembro, o Navio realizou comissão na região situada entre Imbituba-SC e Cidreira-RS, visando a construção da carta 23400 (INT 2127) – De Imbituba a Cidreira. Durante a travessia Rio de Janeiro – Itajaí-SC, o Navio realizou ação de presença nas proximidades das Ilhas de Alcatrazes e Sapata, litoral do estado de São Paulo. Esteve embarcado o Diretor de Hidrografia e Navegação, VA Júlio Soares de Moura Neto, e o
Comandante do Grupamento de Navios Hidroceanográficos, CMG Francisco José Memória Hyppolito. No dia 21 de outubro o Navio teve que interromper sondagem devido às más condições do tempo. Durante a comissão embarcaram diversos alunos do Curso de Oceanografia da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI).

Entre os dias 17 e 19 de dezembro, o Navio realizou qualificação e manutenção da qualificação das Equipes de Manobra e Crache dos navios da DHN e participou das comemorações alusivas ao encerramento do Ano Hidrográfico de 2002.

2003

No dia 07 de fevereiro, o Navio participou das comemorações alusivas à abertura do Ano Hidrográfico de 2003. No dia 11 de fevereiro, o Navio realizou a Vistoria de Segurança de Aviação (VSA). Entre os dias 14 e 25 de fevereiro, o Navio realizou o abastecimento do Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade (POIT), realizou patrulha da Zona Econômica Exclusiva em torno do POIT e substituiu a Bandeira Nacional hasteada na Ilha de Martin Vaz.

Entre os dias 10 de março e 30 de abril, o Navio reiniciou a coleta de dados na região situada entre Imbituba-SC e Cidreira-RS, visando a construção da carta 23400 (INT 2127) e realizou a coleta de dados na região situada entre Pinhal e Rio Grande, no Estado do Rio Grande do Sul, visando a construção da carta 23500 (INT 2128). Durante a comissão diversos alunos do Curso de Oceanografia da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) embarcaram para cumprir etapa do currículo escolar. Em 21 de abril, quando encontrava-se na entrada da barra de Rio Grande, ocorreu a explosão de uma bateria que feriu o CB CI Edílson da Conceição Dias, resgatado por uma EVAM realizada por um He Esquilo do HU-5 que o transportou para o héliponto da CPRS, sendo depois transferido para a Santa Casa de Rio Grande.

Entre os dias 11 e 17 de junho, o Navio realizou as comissões ADESTRIP e APOINST I, com embarque de alunos dos cursos de Formação de Oficiais do CIAW e de Especialização e Hidrografia e Navegação da DHN. No dia 01 de julho, o Navio realizou a comissão ADESTRIP/APOINST II, a fim de prestar apoio aos alunos do Curso de Formação de Oficiais do Centro de Instrução Almirante Wandenkolk – CIAW e adestrar a tripulação.

Entre os dias 10 e 15 de julho, o Navio realizou a Comissão ADESTRIP/APOINST III, adestrando a Tripulação e proporcionando aos alunos do Curso de Formação de Oficiais do CIAW e de Especialização em Hidrografia e Navegação de 2003, uma pequena noção prática das atividades marinheiras a bordo. Dia 29 de julho, o Navio realizou a Comissão EQMAN II.

Entre os dias 13 e 24 de agosto, o Navio realizou a comissão para o Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade (POIT), transportou material e pessoal do Com1ºDN e substituiu a Bandeira Nacional hasteada na Ilha de Martin Vaz. Nos dias 11 a 13 de setembro, o navio realizou o evento SAR SSE nº 016/03 na busca do Super Lynx N-4007. Após o evento SAR, o Navio demandou a área do Levantamento Hidrográfico da carta 22900 (INT 2122), "De Vitória ao Cabo de São Tomé", coletou dados batimétricos e, logo após o término da sondagem, demandou a cidade do Rio de Janeiro, atracando no dia 16 de outubro.

No dia 27 de outubro, o Navio realizou a comissão EqMan III. Entre os dias 01 e 03 de novembro, o Navio realizou varredura com SIDE SCAN SONAR (SSS), a fim de localizar o Barco Pesqueiro (B/P) "Afonso", desaparecido nas proximidades da Ilha de Cabo Frio no litoral do Rio de Janeiro (evento SAR SSE n.º 018/03). Entre os dias 10 e 16 de novembro, o Navio realizou a comissão de Levantamento Hidrográfico Final de Curso do Curso de Aperfeiçoamento em Hidrografia para Oficiais (CAHO) e Aperfeiçoamento em Hidrografia para Praças (C-Ap-HN) nas proximidades da Base Naval de Aratu.

2004

Dia 03 de fevereiro, o Navio realizou a Vistoria de Segurança de Aviação. Entre os dias 10 e 19 de fevereiro, o Navio realizou a comissão de abastecimento do Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade e substituiu o mastro da Bandeira Nacional hasteada na Ilha de Martin Vaz.

O Navio passou por um PDR entre os meses de Março e Junho. Em 09 de junho, o Navio realizou experiência de máquinas.

Em 16 de junho, o Navio realizou a comissão "CICLOPE", visando o adestramento do pessoal de bordo e, em paralelo, o apoio à instrução de oficiais-alunos do Curso de Formação de Oficiais do Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW) e de alunos do Curso de Especialização de Hidrografia e Navegação da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN).

Em 17 de junho, foi realizada a qualificação e manutenção da qualificação das Equipes de Manobra e Crache dos meios da DHN. Entre os dias 21 e 26 de junho, o Navio realizou a comissão ADESTRIP visando o adestramento da Tripulação. No dia 28 de junho, o Navio desatracou da BNA e demandou a área de sondagem da carta INT 2116, adjacente aos litorais dos estados de Sergipe e Alagoas. Após a conclusão dos trabalhos, o Navio demandou o porto do Rio de Janeiro, onde atracou em 13 de agosto.

No dia 27 de agosto, o Navio realizou adestramento da Tripulação e apresentou a 18 capitães-amadores participantes do Simpósio de Segurança do Navegador Amador, a rotina de navegação do navio e o trabalho hidrográfico realizado a bordo. Entre os dias 01 e 30 de outubro, o Navio realizou sondagem nas proximidades do Arquipélago de Abrolhos para a construção das cartas INT 2120 e 2121 em apoio ao II Plano Cartográfico Brasileiro.

Entre os dias 08 de novembro e 10 de dezembro, o Navio realizou a comissão de Levantamento
Hidrográfico Final de Curso do Curso de Aperfeiçoamento em Hidrografia para Oficiais (CAHO), e Aperfeiçoamento em Hidrografia para Praças (C-Ap-HN) nas proximidades do Porto de Sepetiba.

2005

Em 01 de fevereiro, o Navio realizou Vistoria de Segurança de Aviação, conduzida pelo SIPAAerM. Entre os dias 16 e 26 de fevereiro, o Navio realizou a comissão de abastecimento do Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade e substituiu a Bandeira Nacional hasteada na Ilha de Martin Vaz.

Entre os dias 29 de março e 07 de maio, foi realizada a comissão com o objetivo de obter dados batimétricos, meteorológicos, oceanográficos e de auxílios à navegação, visando a construção da carta INT 2120 e a atualização das cartas náuticas 1104, “Baía de Todos os Santos – Parte Nordeste” e 1171, “Baía de Todos os Santos – Canal de Itaparica”.

Nos dias 01 e 08 de junho, foram realizadas as comissões com o objetivo de realizar e manter a qualificação das Equipes de Manobra e Crache dos navios subordinados à DHN. Em 03 de agosto, foi realizada experiência de máquinas.

Entre os dias 11 e 23 de agosto, o Navio realizou a comissão de abastecimento do Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade e, em paralelo, cumpriu atividades do Projeto MOVAR, lançando duas bóias de deriva e quatro flutuadores Argo.

Entre os dias 12 e 14 de setembro, foi realizada comissão de adestramento da Tripulação e de qualificação e manutenção da qualificação das Equipes de Manobra e Crache dos meios da DHN. Neste período o Navio participou do VI OMAR-SAT no IEAPM.

Nos dias 20 e 21 de setembro, foi realizada a comissão de apoio à instrução (APOINST I e III), com prática de navegação para o C-ESPC-FR e o C-ESPC-HN. Entre os dias 22 e 27 de setembro, foi realizada a comissão de apoio à instrução (APOINST V, VI e VII), para o CAHO e C-AP-HN nas proximidades da Enseada dos Anjos em Arraial do Cabo.

Entre os dias 05 e 14 de outubro, foi realizada a comissão de reconhecimento nas proximidades do Porto de Itajaí, área do Levantamento Hidrográfico de Fim de Curso (LHFC/2005). Após a comissão, o Navio passou a ficar sediado em Niterói, com atracação no Píer Almirante Paulo Irineu Roxo Freitas (PIRF), no Complexo Naval da Ponta da Armação (CNPA).

Entre os dias 18 de outubro e 01 de novembro, o Navio realizou manutenção de Sinais Náuticos situados no litoral dos Estados de Santa Catarina e Paraná, contribuiu com a formação dos alunos dos cursos de aperfeiçoamento e de especialização de Sinalização Náutica e dos alunos do curso de Oceanografia da UERJ e UNIVALI.

Entre os dias 08 de novembro e 09 de dezembro, o Navio realizou a comissão de Levantamento
Hidrográfico Final de Curso do Curso de Aperfeiçoamento em Hidrografia para Oficiais (CAHO), e Aperfeiçoamento em Hidrografia para Praças (C-Ap-HN) nas proximidades do Porto de Itajaí.
2006

Em 08 de fevereiro, o Navio realizou Vistoria de Segurança de Aviação, feita pela SIPAA-ForSup (Seção de Investigação de Prevenção de Acidentes do Comando da Força de Superfície). Entre os dias 13 e 23 de fevereiro, o Navio realizou a comissão de abastecimento do Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade, substituição da Bandeira Nacional hasteada na Ilha de Martin Vaz e ação de presença no arquipélago.

Entre os dias 06 e 23 de março, o Navio realizou a Comissão Farol Sul para manutenção de Sinais Náuticos situados no litoral do Estado de Santa Catarina, efetuou sondagem no canal de acesso ao Porto de Itajaí e contribuiu para a formação dos alunos do curso de Oceanografia da UNIVALI.

Entre os dias 18 de abril e 05 de julho, o Navio realizou a Comissão Barra Norte do Rio Amazonas. Foram 79 dias de comissão, com a coleta de informações batimétricas, meteorológicas, oceanográficas e geológicas, com o apoio de universidades e institutos de pesquisa. O objetivo principal foi estabelecer uma nova metodologia para a redução de sondagem, verificar a existência de lama fluida navegável e compreender o mecanismo de migração de bancos de areia.

Em 4 de junho, atracado em Belém-PA, participou das comemorações alusivas ao aniversario da Batalha Naval do Riachuelo, tendo ficado aberto a visitação.

2007
Em 11 de junho, data alusiva ao 142º Aniversario da Batalha Naval do Riachuelo, realizou ação de presença em Beléml-PA.

2008

Em 27 de janeiro, participou do Desfile Naval, realizado de fronte a orla do Rio de Janeiro, comemorativo ao Bicentenário da Abertura dos Portos às Nações Amigas, junto com as F Niterói - F 40, Defensora - F 41, Liberal - F 43, Independência - F 44, Greenhalgh - F 46 e Rademaker - F 49, NT Alte. Gastão Motta - G 23, RbAM Tridente - R 22, NPa Gurupi - P 47, NDCC Mattoso Maia - G 28, NHO Taurus - H 36 e o S Timbira - S 32, além do Navio Tanque Pirajuí, da PETROBRAS, representando a Marinha Mercante.
Em 9 de maio, participou de Desfile Naval, realizado como parte das comemorações alusivas ao 200º Aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais, junto com o NDCC Garcia D'Avila - G 29, as F Liberal - F 43 e Bosísio - F 48, as Cv Júlio de Noronha - V 32 e Frontin - V 33, o NT Almirante Gastão Motta - G 23, o NSS Felinto Perry - K 11, o S Tamoio - S 31 e o NPa Guaporé - P 45.

2009

julho/agosto, foi instalada no navio uma Ecosonda multifeixe Kongsberg EM-302.

Em 3 de novembro, iniciou a primeira comissão PROAREA, em apoio ao Programa de Prospecção e Exploração de Recursos Minerais da Área Internacional do Atlântico Sul e Equatorial (PROAREA), com o reconhecimento geológico para o levantamento da potencialidade mineral dos depósitos de crosta cobaltífera na área da Elevação do Rio Grande.

Elevação do Rio Grande está localizada em área internacional, definida como "Área" pela Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, cujos recursos são considerados patrimônio comum da humanidade.

O objetivo da pesquisa foi iniciar o reconhecimento da região empregando, pela primeira vez, o ecobatímetro multifeixe EM302, adquirido com financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) no escopo do projeto "GEO-IMAGEAMENTO DO FUNDO OCEÂNICO". A principal relevância das crostas cobaltíferas é a presença de grandes concentrações de metais com relevante importância econômica tais como: níquel, cobre, cobalto e manganês, dentre outros.

A primeira etapa dos trabalhos foi realizada no período de 3 a 20 de Novembro, quando foi possível avaliar o desempenho do ecobatímetro multifeixe EM302 e a coerência das informações batimétricas pré-existentes. O levantamento multifeixe permitirá definir a profundidade da região com recobrimento total do fundo, possibilitando a identificação das feições submarinas de forma precisa. Associado ao registro da intensidade de reflexão do sinal será possível interpretar a natureza do fundo e identificar as áreas sem cobertura sedimentar, contribuindo para o estudo de definição da potencialidade mineral dos depósitos de crosta cobaltífera na região.

2011

Entre 26 de abril e 12 de junho realizou comissão hidrográfica incluindo levantamentos com o ecobatímetro multifeixe em águas profundas, além da plataforma continental, apoiando as Universidades Federais dos Estados da Bahia e do Rio Grande do Norte, em prol do projeto Geoimageamento do Fundo Oceânico.

Dentro dessa comissão, no período de 21 de maio a 1º de junho, realizou levantamento hidrográfico no Arquipélago de Fernando de Noronha, cumprindo programação estabelecida pelo Plano de Trabalho de Cartografia da DHN. Entre as principais atividades desenvolvidas, foi executado, empregando-se o ecobatímetro multifeixe portátil, o levantamento da área de aproximação ao Porto de Fernando de Noronha. Adicionalmente, foi realizado o levantamento aerofotogramétrico com o objetivo de atualizar o contorno das ilhas. Destaca-se que essa técnica para definição da linha de costa assim como o ecobatímetro multifeixe foram empregados na região do Arquipélago pela primeira vez. Os dados coletados pelo conjunto de equipamentos mono e multifeixe durante o levantamento foram usados de subsídios para a atualização da Carta Náutica 52.

Entre 24 e 26 de setembro esteve em Vitória-ES.

2012

No dia 12 de julho em cerimônia presidida pelo Chefe de Operações Navais e Diretor-Geral de Navegação, AE Gilberto Max Roffé Hirschfeld , recebeu o Prêmio "Contato-CNTM/ DHN-GNHo", relativo ao período maio de 2011-abril 2012.

Entidade custodiadora

Procedência

Navio Hidrográfico Sirius.

Âmbito e conteúdo

Documentos relacionados ao Navio Hidrográfico Sirius

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Condições de acesso

Livre

Condiçoes de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

22/10/2013

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados