Navio Hidroceanográfico Faroleiro Almirante Graça Aranha

Área de identificação

tipo de entidade

Entidade coletiva

Forma autorizada do nome

Navio Hidroceanográfico Faroleiro Almirante Graça Aranha

Forma(s) paralela(s) de nome

  • NHOFALTEGARANHA

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

  • NFGRAR

Outra(s) forma(s) do nome

  • 51204

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

datas de existência

09/09/1976

história

Construído pelo estaleiro EBIN e lançado ao mar em 23/05/75, foi incorporado à Marinha do Brasil em 09/09/76. Foi o primeiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome, sendo assim batizado em homenagem ao ilustre Almirante hidrógrafo HERÁCLITO DA GRAÇA ARANHA, que dedicou toda a sua vida ao serviço da Marinha e da Pátria. Nasceu em 22/03/1873, falecendo em 04/08/1944.

Dentre as comissões que o Navio realiza existem algumas que incorporam o rol das mais importantes, justamente por apresentarem em seu escopo especificidades que este robusto Navio Faroleiro supre. São elas:


  • Comissões Farol N/ NE/ SE/ S. Cada uma destas comissões, normalmente delimitas à respectiva região geográfica (costa litorânea das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul), destinam-se à manutenção, ao reparo ou ao estabelecimento de faróis e bóias longo da costa brasileira;
  • Apoio ao Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade (POIT). A Ilha da Trindade, juntamente com as Ilhas de Martin Vaz, constituem o topo de uma imensa cordilheira submarina, possuindo elevado valor estratégico para o Brasil. A Marinha mantém uma guarnição na Ilha da Trindade, a qual é apoiada com transporte de material (alimento, combustível para motores, peças sobressalentes, medicamentos) e de pessoal, além de promover a manutenção do Farol desta mesma Ilha.

Locais

Rio de Janeiro - RJ

status legal

funções, ocupações e atividades

Apoiar a construção e efetuar o apoio a faróis, posicionar, manter e reparar o balizamento, na costa brasileira a fim de contribuir para a segurança da navegação.

Principais Tarefas:


  • Construção e manutenção de faróis, capacidade de transportar e desembarcar todo o material utilizado na construção e manutenção - alvenaria, cimento, vergalhões, perfis, treliças, tintas, etc. ;
  • Suprimento de bóias e faróis – baterias, lanternas, equipamentos eletrônicos e etc.;
  • Colocação de bóias em posição – capacidade de transportar, recolher, lançar e descarregá-las por meio de pau de carga; e
  • Reparo de Bóias – capacidade de recolher, lançar e repará-las a bordo.

Tarefas Subsidiárias:


  • Transportar famílias de faroleiros;
  • Prestar apoio logístico na costa brasileira;
  • Prestar assistência hospitalar de emergência às famílias de faroleiros; e
  • Efetuar sondagens para cartas náuticas.

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

contexto geral

Área de relacionamento

Área de ponto de acesso

Ocupações

Área de controle

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão e eliminação

15/10/2013- Nathália Costa (Estagiária)

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Notas de manutenção

  • Área de Transferência

  • Exportar

  • EAC