Fundo NDCCSB - Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Sabóia

Código de referência

RJDPHDM NDCCSB

Título

Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Sabóia

Data(s)

  • 21/05/2009 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Suporte papel: A4
Suporte digital: .PDF

Nome do produtor

(21/05/2009)

História administrativa

O RFA Sir Bedivere (L3004) foi um Navio Logístico e de Desembarque da classe “Round Table”.
Foi construído originalmente para servir ao Exército Britânico, sendo transferido para a “Royal Fleet Auxiliary” – RFA - em 1970.
O navio foi lançado ao mar em 1967 e desde então desempenhou suas tarefas em diversas operações navais da Grã-Bretanha. Seu porto sede era “Marchwood, Hampshire”, que é o maior porto do Reino Unido genuinamente militar.

1982

Participou de seu primeiro combate na Guerra das Malvinas (Falklands), juntamente com os demais navios anfíbios da “Royal Navy”. Em 24 de maio de 1982, sofreu danos ligeiros causados por aeronaves argentinas “Skyhawk”, quando operava em águas da Baía de “San Carlos”.

1991

Foi destacado para o Golfo Pérsico, em apoio à Operação “Granby”. Teve uma participação muito mais tranqüila do que durante a Guerra “Malvinas” (Falklands), contando desta vez, com o apoio das Forças Armadas dos Estados Unidos.

1994

Sofreu uma modernização, na qual teve sua vida útil estendida - “Ship Life Extended Program” (SLEP) -. Dentre outras alterações, o navio foi aumentado em 12 metros, teve sua superestrutura totalmente alterada para uma de concepção mais moderna, os dois motores da propulsão foram substituídos, bem como o “Bow Thruster”, para propulsores mais potentes e modernos.

2000

Foi enviado para a Serra Leoa quando o Reino Unido lá interveio.

2002

Deixou o Reino Unido em setembro de 2002, demandando o Mar Mediterrâneo, em cumprimento a Operação “Argonauta 2002”. Durante sua travessia, recebeu ordens para alterar o destino para o Golfo Pérsico acompanhado por quatro navios varredores britânicos. Após a finalização da operação de varredura de minas , o RFA passou a operar em apoio a tropas da “Royal Marines” até 2003.

2003

Retornou ao Reino Unido em 29 de maio, transportando equipamentos e militares do 539° Esquadrão de Assalto da “Royal Marines”.
Seu mais recente “deployment” foi o apoio à Operação “Telic” em 2003, quando operou como comandante do Grupo-Tarefa de navios britânicos e americanos de contramedidas de minagem.

2006

O “Sir Bedivere” foi reenviado à Serra Leoa, onde tomou parte da operação “Sail”.

2008

Em 18 de fevereiro, o RFA “Sir Bedivere” foi colocado na Reserva Naval da “Royal Navy”.
A partir de novembro de 2008, após a assinatura do acordo de venda entre a Marinha do Brasil e o Ministério da Defesa do Reino Unido, o Ex-RFA “Sir Bedivere” iniciou um período de reativação, realizando um extenso programa de manutenção em seus sistemas e de treinamento da tripulação, visando o seu retorno à vida operativa no mar.

2009

Em 21 maio, o NDCC Almirante Sabóia é incorporado à Marinha do Brasil.

Em 23 de junho, o navio iniciou a travessia para o Brasil, suspendendo de Falmouth (Inglaterra). A mesma incluiu teve como portos: Lisboa (Portugal), Tenerife (Ilhas Canárias - Espanha), Fortaleza-CE e Maceió-AL; contando ainda com um fundeio em Arraial do Cabo. A chegada ao Rio de Janeiro ocorreu no dia 31 de julho, onde foi recebido por uma Parada Naval.

Em 6 de agosto, o navio teve a sua subordinação transferida da Diretoria-Geral de Material da Marinha (DGMM) para o Comando de Operações Navais (ComOpNav) e para o Comando do 1º Esquadrão de Apoio.

Em 7 de setembro participou do Desfile Naval alusivo ao Dia da Independência na orla do Rio de Janeiro.

No período de 13 a 24 de outubro, o Navio realizou a Comissão POIT V a fim de prover o apoio necessário ao Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade.

No dia 28 de outubro, participou do Desfile Naval em Homenagem ao Chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA).

Em 16 de novembro participou do Desfile Naval e Aéreo em Homenagem ao Comandante de Operações Navais / Diretor Geral de Navegação.

Em 10 de dezembro participou das comemorações do Dia do Marinheiro no porto de Santos-SP, suspendendo de volta à sua sede no dia 17 de dezembro.

2010

Entre os dias 12 e 17 de janeiro participou da Operação ASPIRANTEX-2010, na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro-RJ e Natal-RN. O porto visitado foi o de Salvador-BA. Devido ao terremoto ocorrido no Haiti, o navio foi designado para missão de socorro humanitário e não pode completar a Operação. E em 1º de fevereiro partiu para a Comissão HAITI VIII, suspendendo do Rio de Janeiro com 700 toneladas de material para tropas da Marinha (Fuzileiros Navais) e do Exército Brasileiro e de ajuda humanitária ao povo haitiano, chegando ao Haiti no dia 17 de fevereiro. Foram visitados os seguintes portos: Porto Príncipe (Haiti), Willemstad (Curaçao) e Fortaleza-CE.

Entre os dias 21 de abril e 9 de junho, realizou a Operação HAITI X, tendo visitado os portos de Fortaleza-CE, Porto Príncipe (Haiti), San Juan (Porto Rico) e Natal-CE.

Em 14 de julho, o Navio suspendeu para a Operação ATLÂNTICO II, atracando na cidade de Salvador e fundeando nas proximidades do arquipélago Fernando de Noronha. O navio regressou para o Rio de Janeiro no dia 6 de agosto.

Entre os dias 30 de agosto e 24 de outubro, o Navio realizou a Comissão de Apoio Logístico Distrital NORTE “APOLOG NORTE”. Foram visitados os portos de Natal-RN, Belém-PA, Manaus-AM, Santarém-PA, Fortaleza-CE, Recife-PE e Salvador-BA.

Nos dias 27 e 28 de outubro o navio realizou a Comissão de Apoio Logístico Móvel e de Socorro, a fim de prover o deslocamento aéreo do Presidente da República.

Participou da Operação ADEREX-II/2010 que foi realizada no período de 16 a 25 de novembro na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro e Santos.

No período de 1º a 12 de dezembro, o Navio realizou a VI Comissão de Revitalização do Posto Oceanográfico da Ilha de Trindade (POIT VI), transportando mais de 85 toneladas de carga e materiais de pesquisa para a ilha, além de 30 civis de várias instituições do segmento da Preservação Ambiental. Duas aeronaves do 1º e do 2º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral foram utilizadas para o cumprimento da missão.

2011

Entre os dias 7 e 28 de janeiro, o navio participou da Operação ASPIRANTEX-2011, tendo visitado os portos de Buenos Aires (Argentina) e Rio Grande-RS.

Entre os dias 26 de abril e 6 de maio, realizou comissão de apoio logístico ao Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade (POIT), além de ação de presença ao redor das ilhas de Martim Vaz. Contou com o apoio do Esquadrão HU-2 através da aeronave UH-14 Super Puma (N-7071). A aeronave realizou o transporte de pessoal e de carga, totalizando 58 fainas de VERTREP para o transporte de 53 toneladas de material.

Entre os dias 30 de maio e 5 de agosto o navio realizou a Comissão HAITI XII, tendo visitado os portos de Fortaleza-CE, Porto Príncipe (Haiti), San Juan (Porto Rico), Natal-RN e Salvador-BA. Foram transportados 503 toneladas de material da Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE) e do Exército Brasileiro para a Força de Paz brasileira no Haiti. Além disso, 351 toneladas de materiais foram embarcados para serem repatriados.

Em agosto ocorre a primeira docagem do navio no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro. O reparo teve a duração de 45 dias.

Nos dias 28 a 30 de setembro o Navio realizou a Comissão de Famiarização para Alunos do Curso de Formação de Oficiais/2011.

No dia 18 de outubro, iniciou a Comissão Haiti XIII. No período em que permaneceu atracado na capital do Haiti, Porto Príncipe, o navio descarregou, com segurança, 155 toneladas de material da Força de Fuzileiros da Esquadra e do Exército Brasileiro, bem como, embarcou 360 toneladas de material a ser repatriado. Durante a estadia no porto de Salvador, o Navio recebeu a missão de realizar apoio ao POIT, regressando à Base Naval do Rio de Janeiro em 16 de dezembro.

Entidade custodiadora

Procedência

Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Sabóia.

Âmbito e conteúdo

Documentos relacionados ao Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Sabóia

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Condições de acesso

Livre

Condiçoes de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Pontos de acesso de gênero

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

26/11/2013

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados