Fundo FGREEN - Fragata Greenhalgh

Código de referência

RJDPHDM FGREEN

Título

Fragata Greenhalgh

Data(s)

  • 30/06/1995 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Suporte papel: A4
Suporte digital: .PDF

Nome do produtor

(30/06/1995)

História administrativa

A Fragata Greenhalgh - F 46, ex-HMS Broadsword - F 88, é o quarto navio a ostentar esse nome na Marinha do Brasil, em homenagem ao Guarda-Marinha João Guilherme Greenhalgh, morto na Batalha Naval de Riachuelo. Foi construída pelo estaleiro Yarrow Shipbuilders Ltd., em Scotstoun, Glasgow, na Escócia. O contrato de compra da Greenhalgh, de suas três irmãs e três Varredores da River, num valor de aproximadamente US$ 170 milhões (£ 100 milhões) foi assinado entre o Governo Brasileiro e o Ministério da Defesa Britânico em 18 de novembro de 1994, com as transferências ocorrendo a medida que foram dando baixa da Royal Navy. Foi incorporada a Marinha do Brasil em 30 de junho de 1995, em cerimônia realizada em Plymouth, Inglaterra. Naquela ocasião, assumiu o comando, o Capitão-de-Mar-e-Guerra João Carlos Alves da Silva.

A oficialidade do recebimento da Greenhalgh foi a seguinte:

- CMG João Carlos Alves da Silva - Comandante
- CF Júlio César de Araujo Passos - Imediato
- CT Fernando Antonio Araujo de Figueiredo - CheOpe

- CT Roberto Gondim Carneiro da Cunha - CheArm

- CT Luiz Olympio Vianna Dias - CheMaq
- CT (IM) Moisés Durovni - CheInt

- CT Luiz Octavio Barros Coutinho - Enc.Div. S
- CT Odilon Leite de Andrade Neto - Enc. 1ª Div
- CT Valter Citavicius Filho - Enc.Div. M
- CT (MD) Oscar Artur de Oliveira Passos - Enc.Serv. Saude
- CT Marco André Martins Pinheiro - Enc.Div A
- CT Sergio Henrique M. da Costa Moura - Enc.Div. O-2
- CT Marcio Pereira Rippel - Enc. 2ªDiv
- CT Rogério Fortes Pedrozo - 1º Aj. Div S
- CT Leonardo Faria de Mattos - Enc.Div. O-1

- CT João Carlos Küster Maia - Enc.Div. E
- 1º Ten (IM) Alexandrino Machado Neto - Enc.Div. I
- 1º Ten César Augusto Dallacosta Nogueira - Aj. Div O-2
- 1º Ten Marcelo Ribeiro de Sousa - 2º Aj. Div S
1995

Em 6 de julho, realizou sua primeira saída para o mar com tripulação brasileira.
Em 25 de julho, iniciou período de docagem em Devonport.

Em 24 de outubro, chegou ao Rio de Janeiro. A Greenhalgh foi a única das quatro Type 22 recebida com os mísseis MM 38 Exocet instalados, mas também teve retirados os reparos duplos Oerlikon de 30 mm e o sistema de comunicação por satélite SCOT SHF.
1996

Em 4 de março, foi criado o Comando do 2º Esquadrão de Fragatas (ComEsqdF-2) da Força de Superfície, ao qual passou a ser subordinada.

Entre 25 e 27 de maio, esteve em Santos, junto com o CT Mariz e Barros - D 26 e o NTrT Ary Parreiras - G 21. Foi a primeira Type 22 a visitar o complexo portuário paulista.

Em dezembro, recebeu os dois canhões Bofors L/70 de 40 mm retirados da Fragata Liberal - F 43, quando esta iniciou o ModFrag.

1997

Em fevereiro, recebeu a visita do Ministro da Marinha, AE Mauro César Rodrigues Pereira.

Em 17 de outubro, foi realizada a bordo, cerimônia em comemoração ao Dia do Maquinista e que contou com a presença do AE José Júlio Pedrosa, Ministro do Supremo Tribunal Militar e maquinista mais antigo da Marinha. Também participaram familiares do Almirante Ary Parreiras, Patrono dos Maquinistas.

1998

Em janeiro, participou da Operação ASPIRANTEX/98 integrando uma Força-Tarefa, sob o comando do Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, junto com os NDD Ceará - G 30 e Rio de Janeiro - G 31, NDCC Mattoso Maia - G 28, F Independência - F 44, e Bosisio - F 48, CT Paraná - D 29, Cv Julio de Noronha - V 32 e o S Tamoio - S 31. Foram visitados os portos de Salvador-BA, Ilhéus-BA e Vitória-ES.

Entre 16 e 19 de fevereiro, realizou Operação PASSEX, com a Fragata inglesa HMS Brave – F 94, pertencente a mesma classe da qual a Greenhalgh, como HMS Broadsword era líder na Royal Navy.
Participou da Operação FRATERNO XIX, realizada na área marítima entre a Bahia e o Rio de Janeiro, formando o GT-810.1 com o CT Paraná - D 29, o NT Marajó - G 27 e o S Timbira - S 32. Pela Armada Argentina participaram as fragatas ARA Almirante Brown - D 10, ARA La Argentina - D 11 e ARA Heroina - D 12 e as corvetas ARA Espora - F 41 e ARA Drummond - F 31. Foi visitado o porto de Salvador-BA.

Entre 1º e 9 de junho, participou da Operação ADEREX-II/98, realizada na área compreendida entre Rio de Janeiro e Vitória. Capitaneou um Grupo-Tarefa, formado pela 1ª Divisão da Esquadra, e que incluía também a F Dodsworth – F 47, CT Paraná - D 29 e a Cv Inhaúma – V 30. Também participaram do exercício, prestando apoio, o S Timbira - S 32, os NT Almirante Gastão Motta - G 23 e Marajó - G 27, o RbAM Tridente - R 22 e o NPa Guaporé - P 45, além de aeronaves da MB e da FAB. No período de 7 a 9 de junho, o ComenCh esteve a bordo, acompanhando a operação.

2000

Entre 8 e 17 de fevereiro, participou da Operação ADEREX-I/00, realizada na área compreendida entre Rio de Janeiro e Santos. Integrou o GT 802.1, formado pela 2ª Divisão da Esquadra, e que incluía também a F Defensora – F 41 (capitânia), F União - F 45, CT Paraná – D 29 e a Cv Jaceguai - V 31. Também participaram do exercício, prestando apoio, o S Timbira - S 32, RbAM Almirante Guillobel - R 25 e o NPa Gurupi - P 47, além de aeronaves da MB e da FAB.

Em abril, participou da Operação VENBRAS 2000, formando o GT 804.4, sob o comando do 2º Esquadrão de Fragatas, junto com a Cv Jaceguai - V 31 e o S Timbira - S 32. Pela Armada da Venezuela participaram a F ARV Almirante Garcia - F 26 e o NDCC ARV Esequibo - T 62, compondo o GT 804.5. Foi realizada na área marítima entre Recife-PE e Rio de Janeiro.
Em maio, foi submetida a vistoria de Segurança de Aviação, pelo Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Marinha (SIPAAerM).
Participou da Operação TROPICALEX/APRESTEX 00, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Natal, integrando a FT 803, formada pela 2ª Divisão da Esquadra, sob o Comando do ComemCh. Também integravam a FT 803, as F Niterói - F 40, Defensora - F 41, Rademaker - F 49; NDD Rio de Janeiro - G 31; Cv Jaceguai - V 31; CT Paraná - D 29 e os NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23. O S Timbira, navios do 1º, 2º e 3º DN e aeronaves da FAB apoiaram a Operação. Foram visitados os portos de Salvador-BA, Recife-PE, Cabedelo-PB, Natal-RN e Maceió-AL.

Entre 20 de junho e 6 de julho, participou das operações ADEFASEX III/IV e ADEREX III/00, na área marítima entre o Espírito Santo e São Paulo. Além da Greenhalgh (capitânia), integravam o GT sob o comando do CA Luiz Sérgio Oneto Araújo (ComDivE2), participaram a F Niterói - F 40, F Independência - F 44, F União - F 45, F Rademaker - F 49, CT Paraná - D 29 e a Cv Júlio de Noronha - V 32. Também participaram, o S Tamoio - S 31, o NT Marajó - G 27 e aeronaves da FAB. Foram visitados os portos de Santos-SP e Vitória-ES.
2001

Entre 13 e 24 de janeiro, participou da Comissão CATRAPO/HELITRAPO realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Vitória, integrando o GT 801.4 como escolta do NAeL Minas Gerais – A 11.

Em 31 de janeiro, passou a subordinação do Comando do 2º Esquadrão de Escolta (ComEsqdE-2), criado pelo Decreto n.º 3682 de 06/12/2000, o mesmo que extinguiu o ComEsqdF-2.

Em 16 de fevereiro, integrou o GT 802.1, composto pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), F Liberal - F 43, Rademaker - F 49, CT Pernambuco - D 30 e a Cv Frontin - V 33, que participou da Operação ARRIVEX, a chegada do NAe São Paulo - A 12, ao Brasil.
Em março, realizou exercício em conjunto com o CT Pernambuco - D 30 e o S Tamoio - S 31, na região de Cabo Frio-RJ.

2003

Realizou PMG - Período de Manutenção Geral.

2005

Entre os dias 20 de junho e 7 de julho, participou da Operação ADEREX II/05 que foi realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Salvador sob o comando geral do ComemCh, VA Aurélio Ribeiro da Silva Filho. Os exercícios foram coordenados pelos Comandantes da Div1, CA Sergio Antonio da Conceição Freitas, e, o da Div 2, CA Carlos Augusto de Sousa, tendo como sua capitânia a Greenhalgh. A Força-Tarefa foi composta também pelas F Independência – F 44 (capitania/ComemCh), Rademaker – F 49, Cv Inhaúma – V 30, NDD Ceará – G 30 (capitania/ComDiv1) e o NT Marajó – G 27. Na segunda fase da ADEREX II/05, já em Vitória, juntam-se ao exercício a Cv Jaceguai – V 31 e o CT Pará – D 27. O NPa Gurupi – P 47 e o S Tapajó – S 33 representaram a OPFOR.

Realizou CIASA.

Entre 20 e 28 de setembro, integrando GT com as F Defensora - F 41 (capitânia), Liberal - F 43, Independência - F 44 e Greenhalgh - F 46, o CT Pará - D 27, as Cv Inhaúma - V 30 e Jaceguai - V 31, o NT Marajó - G 27 e o S Tupi - S 30, participou da Operação MISSEX-05, quando foi afundado em alto-mar, ao largo da costa do Rio de Janeiro, o casco do ex-NTrT Soares Dutra - G 22, que depois de receber um míssil Exocet MM-40 disparado pela F Greenhalgh - F 46, disparos de canhão dos navios do GT, foi finalmente posto a pique por uma esquadrilha de caças A-1 AMX. Foi visitado o porto de Santos-SP. Depois de concluir a MISSEX-05, realizou exercícios A/S com o S Tupi - S 30, na região de Arraial do Cabo.

Em 18 de outubro, foi submetida a VSA pela SIPAA-ForSup.

Em 20 de dezembro, foi submetida a VSA pela SIPAA-ForSup.

2006

Participou da Operação TROPICALEX-I/06, realizada no período de 1º de maio a 1º de junho ao longo do litoral das regiões Nordeste e Sudeste, integrando o Grupo-Tarefa 705.1 composto pelas F Bosisio - F 48, Rademaker - F 49, Niterói - F 40 e Independência - F 44; Cv Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33; CT Pará - D 27; NT Marajó - G 27 e Almirante Gastão Motta - G 23; NDD Rio de Janeiro - G 31; NDCC Mattoso Maia - G 28 e os S Tamoio - S 31 e Tapajó - S 33. A operação contou com o apoio do NSS Felinto Perry - K 11 e com a participação dos seguintes navios distritais: RbAM Tridente - R 22 e NPa Gurupi - P 47 do 1º DN; Cv Caboclo - V 19, NPa Guaratuba - P 50 e Gravataí - P 51 e NV Atalaia - M 17, Araçatuba - M 18, Abrolhos - M 19 e Albardão - M 20, do 2º DN e o RbAM Trindade - R 26 e os NPa Grajaú - P 40, Goiana - P 43 e Graúna - P 42 do 3º DN. Também participaram aeronaves da ForAerNav e da FAB. Visitou o porto de Recife-PE.

2007

Nos dias 13 e 14 de fevereiro, realizou a comissão PARADEX I.

Prestou apoio a fase pratica do EQFCOS - Estagio de Qualificação dos Futuros Comandantes de Submarino do CIAMA, realizada a bordo do S Tikuna - S 34, ao largo de Arraial do Cabo, junto com as F Rademaker - F 49 e Defensora - F 41.

Entre 25 de março e 6 de abril, participou das Comemorações do Bicentenário do Almirante Tamandaré.

Em 11 de junho, data alusiva ao 142º Aniversario da Batalha Naval do Riachuelo, realizou ação de presença em Recife-PE, junto com o Marajó - G 27.

Entre 2 e 30 de junho, participou da comissão TROPICALEX 07, durante a qual, em 24 de junho, acompanhada do NT Almirante Gastão Motta - G 23, dirigiu-se para a costa africana, ao largo de Dakar (Senegal), onde os navios encontraram o Navio-Auxiliar FNS Bougainville - L 9077, da Marinha Francesa, para assumir a custodia do B/P "Sabala" que foi apresado por essa unidade no Golfo da Guiné.

O B/P "Sabala", foi apreendida em águas internacionais, por estar envolvida em tráfico internacional de entorpecentes. Sua tripulação era composta por três brasileiros e um boliviano. Em 8 de junho, a Embaixada da França em Brasília solicitou ao Governo brasileiro a confirmação da nacionalidade do "Sabala", que era registrada na Capitania dos Portos do Ceará, bem como a autorização para realizar a abordagem e inspeção, conforme o previsto no Artigo 17 da Convenção de Viena de 1988, que trata sobre o Tráfico Ilícito de Entorpecentes e Substâncias Psicotrópicas. Depois de autorizado pelo Governo brasileiro, a embarcação foi abordada e inspecionada em águas internacionais, nas proximidades da costa africana (Golfo da Guiné), sendo apreendida uma grande quantidade de substâncias entorpecentes. Segundo informações recebidas, o "Sabala", possivelmente avariado, foi rebocado, ainda em águas internacionais, nas proximidades de Dacar, no Senegal. A tripulação e a carga do pesqueiro brasileiro ficaram a bordo do Bougainville. A bordo da Greenhalgh, seguiram Agentes do Departamento de Polícia Federal embarcados para instruir o competente inquérito policial.

Entre 6 e 8 de setembro participou da comissão PARADEX II.

Entre 11 e 21 de novembro, participou da Operação Combinada CHARRUA, do Ministério da Defesa, realizada nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul envolvendo mais de 10.000 militares da Marinha, do Exercito e da Aeronáutica. Além da Greenhalgh o componente naval, sob Contra-Almirante Marco Aurélio Guimarães Falcão, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra, foi formado também pelas F Defensora - F 41 e Bosisio - F 48, Cv Frontin - V 33, NDD Rio de Janeiro - G 31, NDCC Mattoso Maia - G 28, NTrT Ary Parreiras - G 21, NT Almirante Gastão Motta - G 23, S Tupi - S 30 e os NPa Guaporé - P 45 e Gurupi - P 47, além de 13 aeronaves de vários esquadrões da ForAerNav e elementos do CFN. O Exercito participou com cerca de 8.000 homens oriundos de diversas unidades, como a 3ª e 6ª Divisões de Exército; Brigada de Infantaria Pára-quedista; Brigada de Operações Especiais; 11ª e 12ª Brigadas de Infantaria Leve; 3ª e 14ª Brigadas de Infantaria Motorizada; 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada; 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea; 6° Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes; e 1ª Companhia de Guerra Eletrônica, entro outras; e a Aeronáutica com cerca de 1.900 militares, 58 aeronaves dos seguintes tipos F-5EM Tiger II, A-1 AMX, R-99A, KC-137, UH-34 Super Puma, SC-95 Bandeirante, UH-1H, P-95 Bandeirulha, UH-50 Esquilo, AT-26 Xavante, RA-1 AMX, KC-130/C-130 Hércules e A-29 Super Tucano, pertencentes a 19 unidades aéreas.

Até essa ocasião foi o maior exercício combinado da América Latina, em função dos Comandos e efetivos empregados das três forças armadas.

Entre 22 de novembro e 4 de dezembro participou da comissão TEMPEREX 07, junto com NDD Rio de Janeiro - G 31, as F Defensora - F 41 e Bosisio - F 48, o NT Almirante Gastão Motta - G 23 e o NDCC Mattoso Maia - G 28. Esteve em Santos entre os dias 28 de novembro e 3 de dezembro.
Entre 10 e 21 de dezembro, participou de diversas atividades ligadas a comemoração a Semana da Marinha.

2008

Entre 14 e 27 de janeiro tomou parte da Operação ASPIRANTEX-08, sob o comando da 2ª Divisão da Esquadra, integrando o Grupo-Tarefa (GT) 700.1, composto pelas F Niterói - F 40, Independência - F 44, Rademaker - F 49, Greenhalgh - F 46 e Defensora - F 41, o NDD Rio de Janeiro - G 31 e o NT Almirante Gastão Motta - G 23. Foram visitados os portos de Salvador e Vitória. A Operação também contou com a participação da F Liberal - F 43, da Cv Júlio de Noronha - V 32, dos S Tupi - S 30, Tamoio - S 31 e Tikuna - S 34, do RbAM Tridente - R 22, do NPa Gurupi - P 47 e do NV Atalaia - M 17.

Entre 18 e 23 de janeiro, esteve em Salvador-BA, onde participou das comemorações dos 200 Anos da Chegada da Família Real ao Brasil, inclusive participando da Parada Naval em Salvador, no dia 22, junto com as F Rademaker - F 49, Niterói - F 40, Defensora - F 41 e Liberal - F 43, NT Almirante Gastão Motta - G 23, NV Cisne Branco - U 20, RbAM Triunfo - R 23, NPa Gravataí - P 51 e os Aratu - M 15, Anhatomirim - M 16 e Albardão - M 20. O evento contou com a participação do Governador do Estado da Bahia, Jaques Wagner, do Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Aurélio Ribeiro da Silva Filho e do Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante Fernando Eduardo Studart Wiemer, entre outras autoridades civis e militares.

Na pernada de regresso, com a presença do Comandante-em-Chefe da Esquadra, o GT fundeou na baía da Ilha Grande, nas proximidades do Colégio Naval e em 27 de janeiro, participou do Desfile Naval, realizado de fronte a orla do Rio de Janeiro, comemorativo ao Bicentenário da Abertura dos Portos às Nações Amigas, junto com as F Niterói - F 40, Defensora - F 41, Liberal - F 43, Independência - F 44 e Rademaker - F 49, NT Alte. Gastão Motta - G 23, RbAM Tridente - R 22, NPa Gurupi - P 47, NDCC Mattoso Maia - G 28, NHi Sirius - H 21, NHO Taurus - H 36 e o S Timbira - S 32, além do Navio Tanque "Pirajuí", da PETROBRAS, representando a Marinha Mercante.

Entre 21 de abril e 2 de maio, participou da Fase Atlântica da Operação UNITAS XLIX/08, realizado no litoral do Rio de Janeiro. O Grupo-Tarefa brasileiro, sob o comando do CA José Aloysio de Melo Pinto, foi formado pelas F Niterói - F 40, Greenhalgh - F 46 e Bosisio - F 48 e o S Tupi - S 30, Participaram pela Marinha dos EUA, sob o Comando do CA (USN) Phillip Cullom, o NAeN USS George Washington - CVN 73, que estava em transito, quando de sua transferência da Base Naval de Norfolk para Yokosuka no Japão, o CT USS Farragut - DDG 99, a F Kauffman - FFG 59 e o Cutter USCGC Northland - WMEC 904. Pela Armada Argentina, sob o comando do CMG (ARA) Álvaro M Gonzáles Lonziene, participaram a F ARA Almirante Brown - D 10, a Cv ARA Gómez Roca - F 46, e o NT ARA Patagonia - B 1 e o S ARA Salta - S 31.

Em 15 de maio, suspendeu com destino aos EUA.

Entre 8 e 18 de julho, participou do COMPTUEX - Composite Unit Training Exercise integrando o Grupo de Ataque Expedicionário do Iwo Jima. Essa foi a primeira participação de um navio de superfície brasileiro em um exercício desse tipo. Além do Navio de Assalto Anfíbio USS Iwo Jima - LHD 7 e da Greenhalgh, integraram o Grupo de Ataque o NTrD USS San Antonio - LPD 17, o NDD USS Carter Hall - LSD 50, o C USS Vella Gulf - CG 72, os CT USS Ramage - DDG 61 e USS Roosevelt - DDG 80 e o SNA USS Hartford - SSN 768, e também os componente terrestre, aéreo e de apoio ao combate da 26th MEU - 26ª Unidade Expedicionária dos Fuzileiros Navais do EUA.
A Greenhalgh foi a primeira unidade de superfície da MB a participar como integrante do Grupo de Ataque nesse tipo de exercício com a U.S. Navy. Outras unidades que participaram de exercícios semelhantes foram a F Defensora - F 41 em 1999 como OPFOR, o S Tikuna - S 34 em 2007 e o Timbira - S 32, no primeiro semestre do corrente ano.

Outro marco importante foi que o USS Iwo Jima e a Greenhalgh foram os dois primeiros navios a operar o novo sistema CENTRIX IANTL em nível tático, que capacita os navios a trocar mensagens classificadas e chats.

Ao termino do COMPTUEX a Greenhalgh e o Grupo de Ataque do Iwo Jima se integraram ao Grupo de Ataque do Theodore Roosevelt para participar do JTFEX 08-4 Joint Task Force Exercise "Operação BRIMSTONE".

Essa oportunidade foi aproveitada para melhorar a interoperabilidade com outras marinhas e como preparação para possíveis desdobramentos em futuras operações navais no exterior.
Em 4 de setembro, encerrou a comissão realizada na costa norte-americana, mas antes esteve entre 23 e 29 de agosto no Arquipélago de São Pedro e São Paulo transportando uma equipe de TV, pesquisadores e estudantes até aquele que é um dos pontos extremos do território nacional.

Entre 17 e 26 de setembro, participou da Operação ATLÂNTICO.

Em 12 e 13 de dezembro, realizou comissão de Apoio à formatura de Guardas-Marinha da Escola Naval.
2009

As fragatas da classe Greenhalgh devem ser submetidas a um programa de modernização
semelhante ao das corvetas da classe Inhauma (Júlio de Noronha), contudo os mísseis Exocet MM-38 serão substituídos pelo MM-40. O custo total desse programa será de R$ 70 milhões, cerca de R$ 23,3 milhões por navio.
2011

No dia 16 de fevereiro, recebeu o Troféu Operativo "ALFA-MIKE", em cerimônia presidida pelo ComenCh, VE Wilson Barbosa Guerra, pelo destaque obtido nos adestramento de operações navais nos simuladores de Guerra Acima d´Água no decorrer do ano de 2010.
Em 6 de outubro suspendeu do Rio de Janeiro para participar da Operação TROPICALEX-2011, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Natal, integrando a Força-Tarefa 710.1, sob o comando do ComemCh, VA Wilson Barbosa Guerra. A FT-710.1 foi formada pelas F Niterói – F 40 (capitânia), União – F 45, Greenhalgh – F 46 e Bosisio – F 48, a Cv Barroso – V 34 e o NT Almirante Gastão Motta – G 23, além de 2 aeronaves UH-12/13 Esquilo e 3 aeronaves AH-11A Super Lynx, distribuídas pelos navios.

Também atuaram em apoio aos exercícios os S Tikuna – S 34 e Tamoio – S 31, o NSS Felinto Perry - K 11, a Cv Caboclo – V 19, os NPa Gurupá – P 46, na área do 1º DN e Grajaú – P 40 na área do 3º DN, além de uma aeronave P-95 Bandeirante Patrulha e dois caças-bombardeiros A-1 da FAB.

Foram visitados pelo navio os portos de Natal-RN (de 13 a 17/10) e Vitória-ES (21 a 24/10), retornando ao Rio de Janeiro em 26 de outubro.
No dia 24 de novembro chegou ao Rio de Janeiro atracando na BNRJ por volta das 14:00h.

Em 28 de novembro suspendeu da BNRJ por volta das 08:00h.

Em 1º de dezembro chegou ao Rio de Janeiro, atracando na BNRJ por volta das 16:00h.

Em 5 de dezembro suspendeu da BNRJ por volta das 09:30h.

Em 8 de dezembro chegou ao Rio de Janeiro, atracando na BNRJ por volta das 09:30h.

2012

Participou da Operação ASPIRANTEX-12 realizada entre 13 de janeiro e 1º de fevereiro na área marítima entre o Rio de Janeiro e os litorais argentino e uruguaio.

Participaram da Operação as F Niterói – F 40, Liberal – F 43 e Greenhalgh – F 46, as Cv Barroso – V 34 e Frontin – V 33, o NDCC Almirante Sabóia – G 25, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e o S Tamoio – S 31, integrando GT sob o comando do CA Carlos Augusto de Moura Resende, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra.

O navio esteve em Mar Del Plata (Argentina) entre 19 e 23/01 e Itajaí de 27 a 30/01.

Em 1º de fevereiro ao final da ASPIRANTEX-12 participou de um Desfile Naval, que ocorreu próximo da entrada da Baia da Guanabara, em homenagem ao Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Fernando Eduardo Studart Wiemer, que embarcou em 31 de janeiro em Itajaí-SC, realizando o trajeto até o Rio de Janeiro, no NDCC Almirante Sabóia. No navio já estavam embarcados o Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Wilson Barbosa Guerra, e o Chefe do Estado-Maior da Esquadra, Contra-Almirante Paulo Ricardo Médici.

Em 27 de fevereiro suspendeu da BNRJ por volta das 09:00h operando na costa do Rio de Janeiro e retornando por volta das 14:30h do dia 29 e atracando no AMRJ.

Em 19 de março suspendeu do AMRJ por volta das 16:30h, retornando por volta das 17:00 h do dia 23.

Entre 2 e 12 de abril participou da Operação ADEREX-I/12 realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo, junto com as F Niterói – F 40 e Bosísio – F 48, o NT Almirante Gastão Motta – G 23, o S Tamoio - S 31 e o NPa Guajará - P 44. Os navios formaram o GT-704.1 sob o comando do CA Wilson Pereira de Lima Filho, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra. Também participaram do exercício aeronaves AH-11A Super Lynx, UH-13 Esquilo-Bi e UH-14 Super Puma da ForAerNav e P-95 Bandeirante Patrulha, A-29 Super Tucano e 1 P-3AM Orion, sendo que essa última participou pela primeira vez. Foram realizados exercícios de desatracação sob ameaças assimétricas, adestramento de postos de abandono, operações aéreas, homem ao mar, avarias operacionais de máquinas, emprego dos equipamentos de Guerra Eletrônica, reboque, ações coordenadas antissubmarino e apoio de fogo naval. Dentre os eventos realizados, destaca-se a condução de ações coordenadas antissubmarino, com emprego, pela primeira vez, da aeronave P-3AM da Força Aérea Brasileira em conjunto com a Esquadra, ainda que em caráter de familiarização. Um oficial do Comando da 1ª Divisão da Esquadra embarcou naquela aeronave. Além disso, outro evento que mereceu atenção foi o exercício de apoio de fogo naval, empregando velocidades e distâncias navio-alvo maiores, conforme os novos procedimentos adotados nos exercícios tipo GUNEX atualmente empregados pelas Marinhas da OTAN. Esteve no porto de Santos-SP de 5 a 9 de abril.

Entre 16 e 19 de abril realizou comissão com a F Niterói - F 40 para prestar apoio ao primeiro lançamento de um míssil sup-sup Exocet MM-40 com motor de fabricação nacional, realizado no dia 18 de abril, pela corveta Barroso – V 34.

Entre os dias 23 e 30 de maio realizou exercícios na área marítima entre o Rio de Janeiro e Vitória com a F Niterói - F 40 e a Cv Barroso - V 34. Esteve no porto de Vitória entre os dias 25 e 28/05. O navio atracou na manhã do dia 1º de junho na BNRJ.

Em 11 e 13 de junho participou da operação PASSEX com o BPC Dixmude – L 9015 e a F Georges Leygues – D 640, da Marinha Francesa, integrando o GT-706.2 com a F Niterói – F 40, o NT Almirante Gastão Motta – G 23, o S Tamoio – S 31 e um NPa do 1º DN. Foram realizados desembarque anfíbio na área da Marambia, na Baia de Sepetiba, operações aéreas, transito sob ameaça aérea, submarina e de superfície, tiro de superfície e TOM. Também participaram do exercício um elemento anfíbio composto por infantaria e CLAnf, além da EDCG Camboriú e diversas aeronaves da ForAerNav.

Em junho prestou apoio às operações de segurança da convenção RIO+20 da ONU, realizada no Rio de Janeiro.

Em 6 de julho suspendeu do cais do AMRJ com destino ao litoral sul do Rio de Janeiro, retornando no dia 9 de julho.

No dia 12 de julho em cerimônia presidida pelo Chefe de Operações Navais e Diretor-Geral de Navegação, AE Gilberto Max Roffé Hirschfeld , recebeu o Prêmio "Contato-CNTM/Esquadra-2º EsqdE", relativo ao período maio de 2011-abril 2012.

Participou da Operação TROPICALEX 2012, realizada entre os dias 23 de julho e 4 de agosto, na área marítima entre o Rio de Janeiro e a Bahia, junto com as F Bosisio – F 48, Niterói – F 40 e Independência - F 44, a Cv Barroso – V 34, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e o S Tamoio – S 31. Participaram também aeronaves da ForAerNav, a Cv Caboclo – V 19, o NPa Gravataí – P 51 e os NV Albardão – M 20 e Anhatomirim – M 16, do 2º Distrito Naval, o NPa Guarujá – P 49 do 3º Distrito Naval, RbAM Almirante Guillobel - R 25 do 1º Distrito Naval, além de Lanchas da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro e uma aeronave P-3AM Orion da FAB. Foi visitado o porto de Salvador entre os dias 27 e 30 de julho.

Em 22 de agosto suspendeu da BNRJ para realizar comissão no exterior.

Entre 30 de agosto e 3 de setembro, esteve em Belém-PA, tendo atracado em um píer do Terminal Petroquímico de Miramar, que fica um pouco ao sul da Base Naval de Val-de-Cães.

Entre 7 e 9 de setembro esteve em Port of Spain (Trinidad e Tobago), onde participou da comemorações do 50º aniversário da Independência daquele país. Em 9 de setembro suspendeu junto com a F USS Underwood - FFG 36 para Key West-FL (EUA).
Entre 15 e 28 de setembro participou da Operação UNITAS LIII, junto com o C USS Anzio – CG 68, o CT USS Gravely – DDG 107 as F USS Underwood – FFG 36 e USS Robert G Bradley – FFG 49, o NT USNS Patuxent River – T-AO 201 e o Cutter USCGC Escanaba - WMEC 107 da Marinha e Guarda Costeira dos EUA, o CT HMS Dauntles – D 33, da Marinha Real Britanica, o NPaOc ARM Independência – PO 163, da Armada do México, o NPaOc Almirante Didiez Burgos - PA 301, da Marinha da Republica Dominicana, o NT HMCS Preserver – AOR 510, da Marinha do Canadá e a F ARC Antioquia – FM 53 da Armada da Colômbia, entre outros meios.
Após encerramento da Operação UNITAS, em 28 de setembro, iniciou sua participação na Operação COBRA 2012 entre os dias 3 e 4 de outubro junto com a F ARC Caldas - F 52, tendo visitado o porto de Cartagena (Colômbia) entre os dias 30/09 e 3/10 e 5 e 6/10.

Em 16 de outubro, atracou na Base Naval de Val-de-Cães, suspendendo no dia 18.

Na tarde de 27 de outubro chegou ao Rio de Janeiro, atracando na BNRJ, encerrando mais uma comissão no exterior.

2013

Participou da Operação ASPIRANTEX-2013, realizada entre os dias 10 e 31 de janeiro. A operação foi realizada em cinco fases na área marítima entre o Rio de Janeiro e o Uruguai e contou com a participação do NDCC Almirante Sabóia – G 25, as F Niterói – F 40, União – F 45 e Greenhalgh – F 46, Cv Barroso – V 34, S Timbira – S 32 e Tikuna – S 34, NT Marajó – G 27 e o NPa Babitonga – P 63. Foi visitado o porto de Montevideo entre os dias 19 e 21 de janeiro e de Itajaí-SC entre os dias 25 e 28 de janeiro.

Esteve em São Sebastião entre os dias 5 e 7 de julho, retornando ao Rio de Janeiro no dia 9 de julho e suspendendo novamente no dia 10.
Em 4 de agosto suspendeu da BNRJ para participar das Operações IGUAÇU 2013 e FRATERNO XXXI.

Entre os dias 3 e 7 de agosto participou da Operação IGUAÇU 2013 realizada na área maritima entre Rio Grande e Puerto Belgrano como parte da preparação para a FRATERNO XXXI, junto com a F Niterói - F 40, o NDCC Garcia D'Ávila - G 29, o NT Marajó - G 27 e o S Tikuna - S 34.

Entre os dias 7 e 18 de agosto participou da Operação FRATERNO XXXI integrando o GT formado também pela F Niterói - F 40, o NDCC Garcia D'Ávila - G 29, o NT Marajó - G 27 e o S Tikuna - S 34. O GT argentino foi formado pelo destructor ARA Almirante Brown - D 10 e pelas corvetas ARA Espora - P 41 e ARA Parker - P 44.

Em 28 de agosto atracou na BNRJ procedente do litoral norte fluminense.

Entidade custodiadora

Procedência

Fragata Greenhaalgh.

Âmbito e conteúdo

Documentos relacionados à Fragata Greenhaalgh.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Condições de acesso

Livre

Condiçoes de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

22/11/2013

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados