Comando-em-Chefe da Esquadra

Área de identificação

tipo de entidade

Entidade coletiva

Forma autorizada do nome

Comando-em-Chefe da Esquadra

Forma(s) paralela(s) de nome

  • COMEMCH

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

  • COMESQ

Outra(s) forma(s) do nome

  • 91000

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

datas de existência

01/10/1924

história

A Esquadra Brasileira foi criada quando o governo do Brasil-Independente reconheceu a imprescindibilidade do compromisso de adotar todas as providências, que se faziam necessárias, para o nascente Império possuir uma ESQUADRA apta a defender-lhe, face à extensão da costa, ao rico e fértil território e também capaz de assegurar o comércio contínuo entre seus portos, de vez que a Providência talhara para o BRASIL os mais altos destinos de glória e prosperidade, que só poderiam ser defendidos por uma Marinha respeitável. Nessa ocasião, em 10 de novembro de 1822, foi solenemente içado, pela primeira vez, na Nau Martim de Freitas (rebatizada Pedro Primeiro), capitânia da Esquadra em formação, o Pavilhão Nacional criado após a Independência. A cerimônia foi revestida de toda pompa, sendo dada a salva de 101 tiros.

Locais

NITERÓI - RJ - BRASIL

status legal

funções, ocupações e atividades

O Comando-em-Chefe da Esquadra tem por propósito a manutenção das Forças subordinadas no mais elevado grau de aprestamento para as operações navais de guerra, de acordo com o Decreto 16.623, de 1º de outubro de 1924.
Para a consecução de seu propósito, cabem ao Comando-em-Chefe da Esquadra as seguintes tarefas:
a) planejar as operações navais e aeronavais que lhe forem designadas;
b) supervisionar, no nível da Esquadra, o emprego das Forças subordinadas;
c) supervisionar as atividades adminsitrativas relativas às OM subordinadas;
d) submeter aos escalões superiores, as normas relativas ao emprego, organização e manutenção das Forças e Estabelecimentos subordinados; e
e) supervisionar, no âmbito da Esquadra, o emprego dos recursos necessários ao aprestamento das Forças e Órgãos subordinados.
Administrativamente, a Esquadra é subdividida em Forças, as quais são organizadas de acordo com o meio ambiente em que suas unidades operam. Daí, temos, a ela subordinadas: a Força de Superfície (ComForSup), a Força de Submarinos (ComForS) e a Força Aeronaval (ComForAerNav). Para apoio ao Comando-Em-Chefe da Esquadra (ComemCh) na organização das diversas operações delegadas à Esquadra, existem ainda duas unidades a ele subordinadas: o Comando da Primeira Divisão da Esquadra (ComDiv-1) e o Comando da Segunda Divisão da Esquadra (ComDiv-2).
Além das Forças Navais, a Esquadra possui, sob sua subordinação, a Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ), situada na ilha de Mocanguê, na baía da Guanabara, onde fica sediada a maior parte de seus meios, o Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML), cuja a atividade principal é adestrar o pessoal que guarnece os navios da Esquadra, com ênfase no desempenho de Operações Navais e Controle de Avarias, e o Centro de Apoio a Sistemas Operativos (CASOP), destinado a garantir o pleno funcionamento dos sistemas de combate instalados nos navios e o Centro de Manutenção de Embarcações Miúdas (CMEM).
Tambem estão subordinados ao COMEMCH: o Navio-Aeródromo (Porta-Aviões), Navios-Escolta Submarinos, Navios de Desembarque-Doca/Desembarque de Carros de Combate, Navio-Escola, Navio de Socorro Submarino, Navios-Tanque, Navios-Transporte de Tropas, Helicópteros de Esclarecimento e Ataque, Helicópteros de Patrulha/Inspeção alem de Aviões AF-1 (A-4 Skyhawk).

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

contexto geral

O Comando-em-Chefe da Esquadra foi criado pelo Decreto No 16.623, de 1º de outubro de 1924, que definiu a Esquadra Brasileira como "força de combate organizada, juntamente com as esquadrilhas de aviões e os navios auxiliares necessários às suas operações".

A Ordenança Geral para o Serviço da Armada conceitua a ESQUADRA como "o conjunto de Forças e navios soltos, postos sob Comando único, para fins administrativos. O Comandante da Esquadra terá todas as prerrogativas de Comandante de Força e o título de Comandante-em-Chefe".Parte inferior do formulário

Área de relacionamento

Área de ponto de acesso

Ocupações

Área de controle

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão e eliminação

30/08/2013
TTC SO-EDUARDO

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Notas de manutenção

  • Área de Transferência

  • Exportar

  • EAC